Saudades da Infância

Cerca de 113 frases e pensamentos: Saudades da Infância

MEUS OITO ANOS

Oh! que saudades que tenho
Da aurora da minha vida,
Da minha infância querida
Que os anos não trazem mais!
Que amor, que sonhos, que flores,
Naquelas tardes fagueiras
À sombra das bananeiras,
Debaixo dos laranjais!
Como são belos os dias
Do despontar da existência!
— Respira a alma inocência
Como perfumes a flor;
O mar é — lago sereno,
O céu — um manto azulado,
O mundo — um sonho dourado,
A vida — um hino d'amor!
Que aurora, que sol, que vida,
Que noites de melodia
Naquela doce alegria,
Naquele ingênuo folgar!
O céu bordado d'estrelas,
A terra de aromas cheia
As ondas beijando a areia
E a lua beijando o mar!
Oh! dias da minha infância!
Oh! meu céu de primavera!
Que doce a vida não era
Nessa risonha manhã!
Em vez das mágoas de agora,
Eu tinha nessas delícias
De minha mãe as carícias
E beijos de minhã irmã!
Livre filho das montanhas,
Eu ia bem satisfeito,
Da camisa aberta o peito,
— Pés descalços, braços nus
— Correndo pelas campinas
A roda das cachoeiras,
Atrás das asas ligeiras
Das borboletas azuis!
Naqueles tempos ditosos
Ia colher as pitangas,
Trepava a tirar as mangas,
Brincava à beira do mar;
Rezava às Ave-Marias,
Achava o céu sempre lindo.
Adormecia sorrindo
E despertava a cantar!
................................
Oh! que saudades que tenho
Da aurora da minha vida,
Da minha infância querida
Que os anos não trazem mais!
— Que amor, que sonhos, que flores,
Naquelas tardes fagueiras
A sombra das bananeiras
Debaixo dos laranjais!

Casimiro de Abreu

Tenho saudade da minha infância. Quando as amizades não tinham diferença de cor, classe social e religião. O amor fraternal acompanhava a amizade.A solidariedade,o companheirismo,amor e amizade eram palavras de destaque.
Da época que eu não sabia que era tão difícil falar EU TE AMO,que a aparência seria a chave de tudo,que o dodói no coração não se curaria só com um beijinho
Ai que saudade do meu tempo de criança...°°

Sarah Ghil

Saudade eterna de um beija-flor da infância que sem tolerânica não me visita mais...

Márcia Magalhães

As recordações da infância
são as que nos aprisionam no tempo
tem gosto gostoso
e faz da saudade uma amiga.

Simplesmente Sys

Bom dia!!!!!!!
Ah!... Saudade...
Saudade da infância...das brincadeira... dos lugares...
dos amigos...dos parceiros...falsos ou verdadeiros,
Dos namoros, das musicas, das conversas,
Saudade é dor doida...
Porem,sincera...verdadeira...

Desconecido

Tenho saudades

Saudades de minha infância sapeca, onde ninguém me agüentava;
Saudades do tempo da escolinha, que minha mãe ia me buscar e eu queria ficar mais;
Do tempo em que os adultos faziam trabalhos longe de mim, mas que eu sempre acabava descobrindo e queria fazer junto;
Saudades de minhas travessuras, aquelas inesquecíveis que quando lembro me mato de rir;
Saudades dos finais de semana que passava no sítio, na casa da vovó, das pessoas que cuidavam de mim para eu não aprontar, mas não adiantava.
Das tantas vezes que eu e minha prima brincávamos, brigávamos e aprontávamos muito.
Saudades do tempo que tudo era brincadeira;
Saudades do tempo em que com um pedaço de madeira tentava alcançar o céu;
Daquele tempo em que eu não precisava preocupar-me com nada;
Do tempo em que eu só aprontava na escola, que as professoras chamavam minha mãe na escola, do tempo em que elas não podiam me ver que se desesperavam;
Do tempo em que antes de dormir rezava pro “Anjinho da Guarda” me cuidar, do tempo em que eu tinha medo dos mortos e do escuro;
Saudades do tempo que minha mãe me proibia de assistir “Chaves”, que eu adorava assistir o “Pica-Pau”, melhor desenho que já existiu;
Saudades do tempo que eu queria ser médico, jornalista, advogado, padre...;
Saudades do tempo em que eu não precisava trabalhar e mesmo assim queria e que odiava ter que acordar cedo para ir pra aula;
Saudades do tempo em que as professoras corriam atrás de mim;
Do tempo em que tudo era fantasia;
Do tempo que me escondia para não me acharem;
Saudades do tempo que eu quebrava os canos d’água na casa da vovó;
Saudades...;
Saudades do tempo em que era feliz e não sabia;
Do tempo em que ser “Grande” é que era ser feliz;
Saudade do tempo em que tirava as rédias do cavalo pra ele beber água e ele fugia de mim;
Saudade dos sábados que passava na casa da minha avó e meu avô me chamava pra almoçar, ou então quando saia de caminhão com o vovô e só incomodava ele;
Do tempo que ligava os carros sem saber dirigir;
Saudades do tempo que eu pensava que a vida era um sonho onde eu tinha dormido e não conseguia acordar;
Saudades do tempo em que eu adorava tocar violão;
Do tempo que desmanchava o rádio pra arrumar ele, mesmo quando não estava estragado, mas depois sim que estragava;
Hoje olho pra trás e vejo que era feliz e não sabia, não sabia aproveitar a fase melhor da vida, e se pudesse voltar a trás, nossa, com certeza teria aprontado muito mais do que eu aprontei, teria aproveitado melhor cada momento;
Hoje sei que o tempo não volta e que basta agora é viver cada momento da melhor forma possível;
Hoje as pessoas olham pra mim e nem imaginam o quanto eu fui uma criança rebelde;
Quando olham pra mim, vêem uma pessoa forte, sempre sorridente e incapaz de magoar alguém;
Vêem uma pessoa cheia de sonhos, que não sabe se poderá realizar todos, mas que fará o possível para realiza-los.
Fui feliz, sou feliz e se ajudei apenas uma pessoa a ser feliz, valeu a pena ter vivido.
Faço minhas as palavras de um dos maiores poetas de nossos tempo, Mário Quintana: “Quero, um dia, poder dizer às pessoas que nada foi em vão... que o amor existe, que vale a pena se doar às amizades a às pessoas, que a vida é bela sim, e que eu sempre dei o melhor de mim...e que valeu a pena”.

Rauphi Girardi

Saudade da infância
De terra na mão
Brincadeira de roda
Correr na rua
Pés descalços
Birra pro banho
Muita bagunça
Pouca importância
Nenhuma preocupação

KarleneMagalhães

SAUDADE
Sinto saudade da minha velha infância.Das manhãs de sábado que eu pulava a cerca daquele final de rua,que por fim dava acesso à aquele pasto verde onde eu corria descalço pra chegar até aquele pequeno riacho.Era o máximo,e assim eu passava a amanhã inteira debaixo daquelas sombras,escutando os pássaros cantarem e muitas vezes eu dormia numa areia branca há poucos metros da água...Já era tarde quando eu voltava,todo sujo eu voltava pra casa e muitas vezes nem me importava com as minhas pequenas gigantes preocupações,tipo a tarefa que ainda não tinha sido feita.Sinto saudade,saudade da minha época de escola onde eu me sentia tão bem quando sentia o cheiro da comida por volta das 9 da manhã...Saudade daquele medo que eu sentia toda semana quando minha mãe ia até a escola pra ouvir reclamações minhas,poxa quem não teve uma infância assim?...A minha alegria quando chegava o anoitecer era pegar minha bicicleta e andar pelo bairro junto com minha turma...Que saudade...Saudade das vezes que eu aprontei artes,artes que hoje me fazem rir,mas que na época eu tinha medo de ser preso...Bons tempos que não voltam mais.E assim tudo vai se tornando como minha infância,só os pensamentos bons vão restando,e assim a vida vai seguindo deixando pra trás apenas as minhas doces experiências que vivenciei, que no futuro vou vivenciar e que por fim ficará apenas assim,só em pensamentos...

Guilherme boldrin

"Pula corda menina, dança de roda, pião
Saudades da minha infância, aperta o meu coração".

Mesclara

Paçoca, pipoca, histórias do seu João,
Saudades da minha infância, aperta o meu coração.

Mesclara

Infância

Pula corda menina, dança de roda, pião
Saudades da minha infância, aperta o meu coração

Paçoca, pipoca, histórias do seu João,
Saudades da minha infância, aperta o meu coração.

Mesclara

Saudades dos tempos que tudo se entendia, um sorriso ganhava o dia sem precisar olhar pra trás.

Isabel França

Nossa, vendo esse soldadinho agora lembrei que passei a infância grudado nele, e revendo ele agora tentei lembrar o dia em que o havia visto pela última vez, engraçado isso porque ao lado dele está uma tiara sua que esqueceu aqui naquela manhã de quarta-feira dia 22 de maio de 2002.

Ney Mombach

Dói, e já não há ninguém para beijar a ferida, dizer que é dói-dói ou que eu devo ter cuidado. Dói, e já ninguém se importa com o joelho esfolado, com o orgulho ferido. Mamãe já não manda lavar, papai já não fica preocupado, vovó já nem está cá. E dói… Porque agora o mano é grande e já brinca sozinho, porque a mana cresceu e já não brinca. Mamãe esqueceu de avisar que crescer também magoa, que não só os ossos partem, que o coração também chora…

Cristina Lemos

Metamorfose

Quem vai dizer que já se passaram 21 anos da minha vida,
As vezes não me sinto com 21,
Tem dias que parece que eu sou mais velha,
Pois com tão pouca idade e eu já passei por tantas dificuldades,
Dificuldades essas que só me fizeram amadurecer,
Porém tem momentos em que me sinto como se ainda fosse aquela menininha indefesa e insegura que quer ser notada pelo universo.
As vezes me sinto como se fosse uma borboleta prestes a sair do casulo.
Tem dias em que me acordo e me olho no espelho e me acho linda,
entre tanto, em outras vezes me olho e me sinto feia,
o verdadeiro patinho feio.
Deis de que me conheço como gente vivo cheia de perguntas e duvidas,
ainda sou aquela menina que queria saber da onde eu vim
e por que eu nasci,
A menina insegura, indecisa, confusa, curiosa, sincera,
autentica, orgulhosa e por ai vai...
Sou uma verdadeira metamorfose ambulante.
Já dizia nosso amigo poeta William Shakespeare:
''_Ser ou não ser, eis a questão''

Jana Alves

O que levamos para a pós-morte é o mesmo que temos depois da infância: Saudade e sentimento que poderíamos ter aproveitado mais!

Doda Mandu

SAUDADE...

Palavra que traz em si um sinônimo de tristeza, dor, solidão...
Pode ser da infância, da adolescência, da juventude...
Pode ser de alguém que embarcou no trem da morte e que jamais voltará...
Pode ser de alguém que passou por nossas vidas e mudou de endereço, foi para longe, muito longe...
Ou então de alguém que deixou sua marca, seja como um amigo ou um amor perdido, que foi tão importante deixando apenas o vazio de sua ausência.
Como é triste esse sentimento!
Como dói o vazio, a tristeza de saber que algo que foi tão bom, uma época tão feliz, passou, se foi e algumas vezes para sempre!
Tudo o que é bom, um dia se acaba, se vai e nem sempre volta, mas isso faz parte da vida, sofrer faz parte da vida, sentir saudade faz parte da vida...
O que alivia essa dor, é saber que, só sente saudade aquele que um dia foi feliz, mesmo que tenha sido por um momento.

Simone Brantes

Saudade

Saudade da minha infância
Quando aniversário era bolo, brigadeiro, todos os avós e os dois bisos.
Daquele tempo que eram as fadas e eu brincando na inocência
E de lembrança tinha muitos risos.

Mas tudo o que é bom dura pouco...
E quando se cresce até as coisas boas passam muito rápido.
Aí comento, trabalho, viajo na minha mente como um louco
Muitas vezes deixando sem querer alguém ferido.

E se saudade é a dor da ausência de algo bom,
quero deixá-lá no ambom,
Atear fogo para consumi-la e livrar-me de uma vez
Das coisas que me fazem remoer o bom que deixei por estupidez.

Bruna Romero

Ha lembrança da infância,Pois mesmo que o tempo passe, ela nunca apaga...
É tanta saudade que nunca acaba.

carlos augusto

As vezes eu sinto uma saudade enorme. Só não sei de quê. Talvez seja da minha infância. Era tão boa. Tudo era tão simples, tão fácil. Ou talvez seja das pessoas. Daquelas que passaram más não ficaram... se foram sem se despedir. Más também pode ser os momentos. Esses que marcam e pairam na nossa mente. São sem dúvida, especiais. É como se o agora fosse dispensável, e o pensamento voasse, procurando algo que não sabemos bem o que é. E nosso olhar insiste em ir em direção a janela. Como se a resposta desse aperto no coração estivesse além. Não sei se sensação é boa ou ruim...Sinto-me agradecida por tudo que vivi; más ainda há uma enorme vontade de quero mais.

Michelle Coimbra