Poema Infância

Cerca de 1032 poema Infância

Tenho Saudade!!!

Saudade de tanta coisa...
Saudade da minha infância, dos meus amigos que se foram, do meu primeiro amor, que aliás foi o último também, das gargalhadas em dias tristes, das brincadeiras tão gostosas onde eu me sentia livre pra ser o que eu quisesse porque ali todo mundo era igual.
Os beijos eram sinceros, os abraços também.
Ah, como eu tenho saudades.
Saudade das caminhadas ao seu lado, saudade do sorriso que só você tinha quando olhava pra mim, saudade dos sonhos que eu ainda tinha de um dia ficar ao seu lado pra sempre, pra toda a vida. Saudade dos tempos de escola, das fugidinhas que eu dava só pra te ver, da forma como eu te seguia tentando te proteger apenas com o olhar.
O olhar de alguém apaixonado, que daria a vida por você, e mesmo assim ainda seria pouco.
E querer de volta tudo aquilo que eu tive e que me fez feliz por alguns momentos. Não dá pra esquecer. Não tem como apagar.
Tá gravado pra sempre.
Na minha alma e no meu coração.

Jayne Oliveira
Inserida por jayneoliveira
1 compartilhamento

...:: Infância ::...

Como é triste não ser mais criança
Mas guardo na lembrança momentos especiais
De lugares e pessoas na qual amei e não as vejo mais
Lembro quando matava o tempo comigo mesmo
Onde as ordens eram para não haver desordem
Tarefas nas quais hoje fazemos normalmente
Mas são tantas que mal sobra tempo pra gente
Como era bom ser cuidado o tempo todo
Hoje temos que ter cuidado a todo o tempo
Quem não gosta de se sentir seguro com quem ama
Ficar com preguiça e não precisar sair da cama
Como é triste não ser mais criança
Onde tudo é de graça e não existe ganância.

W. Iazzetta
Inserida por wiazzetta
1 compartilhamento

Sempre tive uma enorme admiração pela fotografia.
Na infância, mesmo sem entender por muitas vezes me peguei admirando foto abstratas de artistas como Wassily kandinsky, Mondrian e Malevich.
Achava fascinante a cartela de cores que cada um deles exibia em particular e maneira como formatavam sua genialidade, posso dizer que a partir dessas observações
o meu gosto pela fotografia se acentuou grandemente
A Partir desse princípio, posso dizer que sempre estive inserido dentro da fotografia, e que minha sensibilidade ganhou maiores formatações na adolescência quando pude executar com mais originalidade tudo aquilo que eu observava na sociedade.

Rafael Pavarotti fotógrafo
Inserida por Photographer
1 compartilhamento

Meu tempo passou que eu nem percebi o quanto me perdi da inocência que minha infância cultivava fazendo-me continuar a ter tamanha esperança;
Não quero ter a fraqueza ou ser tão covarde para me esconder e ficar assistindo minhas derrotas se aproximarem;
Quero mostrar o quanto tenho coragem para dizer pelo meu coração confesso que estou aqui para me refazer e te contemplar entre a perfeição;

Julio Aukay
Inserida por JULIOAUKAY
1 compartilhamento

Infância

Na infância pouco importa o olhar,
Apenas olhamos sem nada enxergar.
Na infância eu não sabia olhar.
Meninos olham tudo sem nada ver,
Observam tudo sem nada observar.

Na infância pouco importa o sentir,
Apenas sentimos sem nada exprimir.
Na infância eu não sabia sentir.
Brincava de ser menino...
Quando tinha de chorar, preferia sorrir.

Na infância pouco importa rezar,
Apenas oramos sem nada expressar.
Na infância eu não sabia rezar.
Que importava se Deus e diabo são meninos,
Que discutem por impar e par.

Na infância pouco importa o amar,
Apenas amamos sem nos preocupar.
Na infância eu não sabia amar.
Mas não discutia por impar e par,
Se na infância é feio brigar...
Deus e diabo deveriam se amar.

David Eliom
Inserida por David-Eliom
1 compartilhamento

Em uma bagunça está minha vida


Lembro-me de minha infância
Naquele tempo em que tudo era simples
Não havia problemas, e hoje...
Em uma “bagunça” está minha vida.

Nos tempos de criança
Onde a “fantasia” reinava
Não havia espaço para problemas, e hoje...
Em uma “bagunça” está minha vida.

Até “alguns dias atrás” era uma criança
E agora essa criança cresceu
Com a maturidade veio os problemas, e hoje...
Em uma “bagunça” está minha vida.

Não sou mais criança e nem sou uma mulher
Sinto-me perdida e confusa
Não queria, mas tenho que dizer
Em uma “bagunça” está minha vida.

Ah! Se eu pudesse parar o tempo
Talvez conseguisse encontrar-me, por que...
Em uma “bagunça” está minha vida.

Jhennifer Karoline May
Inserida por Jhennifer123
1 compartilhamento

Uma época da minha infância dizia que queria ser veterinária, depois de um tempo sonhava em ser a garota do tempo
Agora cá estou eu querendo ser mais alguma coisa que não sou. Ah, hoje em dia não sou nem veterinária e nem a garota do tempo.
Quem eu sou? Talvez eu porderia responder-lhe essa essa pergunta, mas não acho bom falar sobre mim.
Poderemos falar sobre o tempo, que tal?

Isabela Vieira
Inserida por isabelamagda
1 compartilhamento

Saudades da Infância


Hoje eu vi uma criança, ela pulava, brincava, cantava pela grama,
Mostrava-se livre, escorregava pela relva, não fazia drama,
Chutava a bola, escondia-se entre as arvores, jogava dama.

Contemplava este momento, que rápido passa, assim como o vento.
Lambuzava-se com um delicioso sorvete de chocolate,
Fazia suas brincadeiras, com tamanha graça que parecia arte.

Com seus amigos brincava de boneca e pulavam corda,
Com suas simples vestes, não se preocupavam com a moda,
Dentre toda esta diversão ainda tinha tempo para brincar de roda.

Vejo-me correndo no cotidiano, a infância já se foi faz muitos anos,
Estudar, trabalhar, casar, ser feliz era alguns dos meus planos.
Guardo belas lembranças, que me dá uma grande saudade da infância

Nivaldo Joaquim
Inserida por nivajoaquim
1 compartilhamento

Rádio Recordar


Tenho saudades...
Dos tempos que não voltam mais.
Nostalgias da minha infância,
Momentos simples, triviais.

Andar de bicicleta de madrugada
Não te oferecia tanto perigo.
O Rock era ideológico.
As pessoas tinham mais amigos.

Tubaína por cinquenta centavos,
Sodinha por vinte e cinco.
Roupas coloridas só no Carnaval,
E os meninos não usavam brinco.

Celular, tinha só a função telefônica,
E pra distrair, o jogo da cobrinha.
As crianças praticavam mais esportes,
E colecionavam figurinhas.

Orkut suportava doze fotos
E era só para convidado.
Não possuia jogos em Flash,
E não tinha álbum "tudojunto&misturado".

Tenhos saudades...
Lembranças conseguem me entreter,
Lembranças estão por toda parte,
Pois recordar é viver.

Guilherme Serafim
Inserida por guiserafim
1 compartilhamento

Sonhos


É como a infância...
feliz e desprovida.
Inerte, inercia
Como um pássaro,
Livre...
Descompromisso com omundo
compromisso com riso.
Alegria de ver um amigo, risos
Sol, chuva, ventos, sorrisos.
Infinito ser
Não pensa;
Brinca.
Semblantes do entardecer
Sonhos...
Risos...
Vida...
Brincadeiras...
Sorrisos...
Sonhos...Sonhos
Rios de risos por fim!!!!!!!!!!!!!!!!!!

Milton Passos
Inserida por notlim
1 compartilhamento

Nas grimpas
Águida Hettwer

A minha desatenção justificada acompanha-me desde a infância, lembro-me das férias prolongadas do final do ano, onde ia visitar meus tios no interior. Andar de ônibus era coisa rara e entretida na paisagem, não me dava conta do tempo passar.

Ecoam vozes no sitio da infância, o frescor das matas, o barulho das águas, o pó da estrada, fazendo companhia das charretes, carregando gente. Costeando as plantações de soja, milho e trigo. O que dividia as propriedades eram as cercas farpadas, onde atravessávamos sem muito esforço.

Sob as inúmeras recomendações da mãe, os cuidados para não me estender no sol, na grama e na vida. Pedia licença até para respirar o ar puro. Por lá me aventurava nas singelas brincadeiras, sentávamos em uma reforçada tábua de madeira e empurrados descíamos potreiro abaixo.

Colhíamos as frutas das grimpas, pitangas, amoras pretas e ameixas. Sentada na sombra do Plátano, ao longe avistava o Rio Uruguai, o pensamento atravessava a fronteira de caíco, remava contra o tempo.

Atentamente observava a lida, a terra talhada em frisos, às sementes lançadas e após alguns dias germinadas. A horta cuidada por mãos zelosas, no ar o cheiro de hortelã. Na frente das casas jardins coloridos com dálias, gérberas e margaridas.

O dialeto diferenciado do povoado me intrigava. Algumas palavras a minha imaginação completava. Há lenha de reserva, enquanto as brasas queimavam, as histórias folheavam páginas ao pé do fogão. Ainda guardo no paladar os sabores da infância. O bule de leite e café fervia e perfumava o lugar, a mesa posta com pão de milho e geléia natural.

No território da alma, o tempo lavrou, adubou a terra, germinou flores de rara beleza, onde perfumam os meus silêncios até o momento...


Outros textos:
www.aguidahettewer.recantodasletras.com.br

Águida Hettwer
Inserida por aguidahettwer
1 compartilhamento

Nasci, cresci, tive uma infância turbulenta demais, com sonhos a menos e responsabilidades demais, confundi o amor com uma falsa paz, tentei fugir do mundo e me esconder debaixo das asas de um homem.
Mas não me ensinaram que o amor é mentiroso,alias não me ensinaram o que é o amor...............
Sem ter ombros pra chorar me fortaleci, sem ter pessoas pra desabafar me calei, sem ter uma mão para segurar as amarrei, sem ter alguém para sorri me fechei.........
Esqueceram de ensinar que a vida poderia ser maravilhosa, que nunca esperei nada dela......
Eesqueci de mim, pois, o mundo não ensinou que para ser feliz bastava poucas coisas..............
Nem me lembro de quando foi o primeiro dia que sorri, e nem o primeiro dia em que amei um homem de verdade, pois na vontade de ser uma boa mãe e ensinar tudo isso a meus filhos, novamente esqueci de algo.....
Ensinar a mim mesma a ser feliz.......................

carla abicair
Inserida por carlaabic
1 compartilhamento

Eu sempre fui um garoto inocente, perdi minha infância em um sentimento de amor e loucuras.
Perdi-me em olhos sedutores e boca carnuda me dominando e mastigando meus sentidos.
Era inquieto o silêncio e seu corpo me alucinava em um feixe de luz e murmurava em meu ouvido fazendo-me arrepiar todo o corpo.
Entregava-me a felicidade, pois você é minha alegria e não posso viver sem teus carinhos e tua presença.

Julio Aukay
Inserida por JULIOAUKAY
1 compartilhamento

Impessoalidade

Depois de alguns anos já não tenho contato com meus amigos de infância . Mais tarde os amigos dos primeiros trabalhos já não sei por onde estão. a família , alguns morreram e outros estão distante por alguma razão - quase sempre financeira, pois a onde estavamos não encontraram trabalho . Hoje olho nas pessoas que me rodeiam e sinto-as estranhas . Mas percebo que nesse mudo em que a velocidade das informações e a impessoalidade é muito intenso não tem lugar para sentimentalismo . Então precisamos nos adpitarmos . como será isso no futuro ? Será que nossos netos vão nos chamarem de avos ou não vão saberem que existem famílias. Com tanta agilidade e impessoalidade as pessoas por força do sistema mudam de trabalho , lugares e até de famílias quando-lhes convêm.

PEDRO JOSÉ MARQUEZIN
Inserida por pjm
1 compartilhamento

Hoje vivo como vivia na minha infância
Feliz sem preocupação alguma
Não queria que fosse assim
Mas talvez se não fosse desse modo
Eu não veria que eu posso viver
Da forma que eu sonho e desejo

Tenho uma única ambição
A de ser feliz por completo
Hoje posso dizer que estou a caminho
De meu objetivo
Posso estar sempre de bolsos vazios
Mas nunca deixei de fazer algo por isso
Posso sempre estar a procura de algo novo
Às vezes o algo novo eu encontro
Mas ele não me encontra

Não me desespero
Sei que tudo há seu tempo
E nem que for semana que vem, mês que vem, final do ano
Eu sei que algo de novo me acontecerá
Sei que eu serei encontrado
Não sou escravo desse desejo
E sim o desejo em meu escravo

Eu faço de cada dia um novo começo
Ou um novo recomeço,
Sei que paciência é a única virtude, que devo levar comigo onde eu for
Sei que as grandes descobertas foram feitas
Por homens cansados que persistiram

A vida só faz feliz quem a vive feliz
Seguindo em frente eu vou a procura de felicidade
Para que a vida possa me fazer feliz.
Sou alguém que não deseja muito
Sou alguém que quer apenas ter o suficiente
Cheguei a essa conclusão simplesmente por não ter.

Valorizo como um tesouro de um rei
Aquilo que poucos tem
Por isso aqueles que me rodeiam se sentem como um jóia real
Anjos também me rodeiam
E como os outros eles se sentem como uma jóia
Mas dessa vez como um jóia angelical

Johny Garcia
Inserida por Johnygarcia
1 compartilhamento

Componho-me nos planos narrativos que se alternam entre a infância real e ao verso adulto.
Vivo como um protagonista em um romance na vida e foge ao meu controle como um contrato conflituoso.
Agito-me ao perceber que posso está em um caminho errado contemplando uma prece errada que me faça ser derrotado.

julioaukay
Inserida por JULIOAUKAY
1 compartilhamento

O Tempo
O tempo passou
A infância se foi
E quando o novo tempo chegou
Não sei se gostei


Foi-se o tempo
Das brincadeiras na rua
Pic-esconde, queimado, pega-pega...
Ele se foi


Chegou um tal de novo tempo
Não sei se gostei
Não o conheço bem


Tenho de fazer algo!
Vou dar tempo ao tempo
E ver se conheço este tal tempo

M.Nigro
Inserida por michelnigro
1 compartilhamento

Escrevo então sobre o tempo e lembranças de uma infância conturbada...
Para nunca deixar morrer o que tem que ser posto a luz do dia, Porque eu vivo como vivo, como eterno inabitado homem
Perdido entre o passado e o presente de uma vida tão estranha.

miguel westerberg
Inserida por israelwest
1 compartilhamento

Infância

Sinto falta de tudo quando voltou
E nada partiu,
As cores eram puras
E bem vivas,

Nada chegou a ser o que era
Ouvi o som grunhido de um vagalume triste
Ja se pode saber
Quando tudo pode voltar?

Estrelas podres caem sem luz
Embalo, embalo, embalo.
E o fim do arco íris
O começo é apenas sonhar.

Sinto falta de quando tudo nasceu
E nada ficou,
Imagens eram luzes
Quando tudo pode voltar?

Fernando Luís de jesus
Inserida por spjd
1 compartilhamento

SER AMIGO
Amigo
Que é ser amigo?
Temos amigos de infância,
Amigos que vamos conhecendo ao longo da vida,
Amigos recentes,
Amigos de longa data,
Amigos que vemos todos os dias,
Amigos que raramente vemos,
Mas acima de tudo é bom
Ser amigo,
Ter amigos.
Depois há aqueles amigos especiais,
Aqueles com quem contamos para tudo,
São nossos confidentes,
São nosso ombro amigo,
Sorrimos com eles,
Choramos com eles,
Estão sempre lá,
São esses os verdadeiros amigos.
E quando pensamos ter alguém assim tão amigo,
E que quando mais precisamos não está?
Será um verdadeiro amigo?
Nunca se sentiram assim?
Não corresponder a uma verdadeira amizade?
Quando essa pessoa mais precisa de nós
Não estamos,
Não a compreendemos,
Não a ajudamos,
Não a apoiamos,
Será isso ser amigo?

Jbrito
Inserida por zb007
1 compartilhamento