Parábolas

Cerca de 80 frases e pensamentos: Parábolas

Parece uma parábola, mas acontece todo dia: a gente só tem olhos para o que mostra a nossa janela, nunca a janela do outro. O que a gente vê é o que vale, não importa que alguém bem perto esteja vendo algo diferente.

Martha Medeiros
Inserida por lituaniasi

Todo acontecimento, grande ou pequeno, é uma parábola por meio da qual Deus conversa conosco. E a arte da vida é entender a mensagem".

Malcolm Muggeridge

Quando vier o que é perfeito, então o que o é em parte, será aniquilado.

I Coríntios - parábola sobre o amor

Perto de Tóquio vivia um grande samurai idoso que agora se dedicava a ensinar o zen aos jovens. Apesar de sua idade, corria a lenda de que ainda era capaz de derrotar qualquer adversário. Certa tarde, um guerreiro conhecido por sua total falta de escrúpulos apareceu por ali. Era famoso por utilizar a técnica da provocação: esperava que seu adversário fizesse o primeiro movimento e, dotado de uma inteligência privilegiada para reparar os erros cometidos, contra-atacava com velocidade fulminante. O jovem e impaciente guerreiro jamais havia perdido uma luta. Conhecendo a reputação do samurai, estava ali para derrotá-lo, e aumentar sua fama. Todos os estudantes se manifestaram contra a ideia, mas o velho aceitou o desafio. Foram todos para a praça da cidade, e o jovem começou a insultar o velho mestre. Chutou algumas pedras em sua direcção, cuspiu em seu rosto, gritou todos os insultos conhecidos, ofendendo inclusive seus ancestrais. Durante horas fez tudo para provocá-lo, mas o velho permaneceu impassível. No final da tarde, sentindo-se já exausto e humilhado, o impetuoso guerreiro retirou-se.
Desapontados pelo fato de que o mestre aceitar tantos insultos e provocações, os alunos perguntaram: - Como o senhor pode suportar tanta indignidade? Por que não usou sua espada, mesmo sabendo que podia perder a luta, ao invés de mostrar-se covarde diante de todos nós?
- Se alguém chega até você com um presente, e você não o aceita, a quem pertence o presente?
- A quem tentou entregá-lo - respondeu um dos discípulos.
- O mesmo vale para a inveja, a raiva, e os insultos - disse o mestre - Quando não são aceitos, continuam pertencendo a quem os carregava consigo. A sua paz interior, depende exclusivamente de você. As pessoas não podem lhe tirar a calma, só se você permitir...

Parabola
Inserida por Gabriel86

Um é este observador? Este é o espaço de toda a minha vida; eu observo a mim mesmo.”

Parabola
Inserida por Gabriel86

O que eu queria saber era como que eu faço para me tornar o maior dos guerreiros.
- O maior dos guerreiros e aquele que é como a rocha, não liga para insultos nem provocações, mas está sempre pronto para desvencilhar qualquer ataque do inimigo..

Parabola
Inserida por Gabriel86

Um guerreiro japonês foi capturado pelos seus inimigos e jogado na prisão.

Naquela noite ele sentiu-se incapaz de dormir pois sabia que no dia seguinte ele iria ser interrogado, torturado e executado.

Então as palavras de seu mestre Zen surgiram em sua mente:
"O "amanhã" não é real. É uma ilusão. A única realidade é "AGORA. O verdadeiro sofrimento é viver ignorando este Darma".

Em meio ao seu terror subitamente compreendeu o sentido destas palavras, ficou em paz e dormiu tranqüilamente.

Parabola
Inserida por Gabriel86

Leio histórias e parábolas budistas.

TALVEZ.

Uma fala de um fazendeiro que acorda e descobre que seu cavalo fugiu.
Os vizinhos vêm e dizem:
-Que pena. Que azar terrível!
O fazendeiro responde:
-Talvez.
No dia seguinte, o cavalo retorna com mais alguns cavalos. Os vizinhos dão os parabéns ao fazendeiro pela mudança na sorte.
-Talvez - diz o fazendeiro.
Quando seu filho tenta montar um dos cavalos novos, quebra a perna, e os vizinhos se condoem.
-Talvez - diz o fazendeiro.
E no dia seguinte, quando autoridades vêm alistar o filho - e não o levam por causa da perna quebrada - Todo mundo fica feliz.
-Talvez - diz o vizinho.

Já ouvi histórias assim antes. São lindas em sua simplicidade e entrega ao Universo. Imagino se eu poderia me apegar a algo de tamanho desapego. Não sei. Talvez.

Mitch Albom - Tenha um Pouco de Fé

..." Somos estórias em movimento. Parábolas vivas. E quem conta estórias vive várias vidas numa só."

Affonso Romano Santanna

A vida é escrita em parábolas, por isso é preciso saber interpreta-la...

Cristopher Lemos

Parábola da vaquinha e o precipício

Um mestre passeava por uma floresta com seu fiel discípulo, quando avistou ao longe um sítio de aparência pobre e resolveu fazer-lhe uma breve visita. Durante o percurso, ele falou ao aprendiz sobre a importância das visitas e as oportunidades de aprendizado que temos, também, com as pessoas que mal conhecemos.

Chegando ao sítio, constatou a pobreza do lugar, sem calçamento, casa de madeira, os moradores – um casal e três filhos – vestidos com roupas rasgadas e sujas. Então, aproximou-se do senhor e perguntou-lhe:

– Neste lugar, não há sinais de pontos de comércio e de trabalho. Como a sua família sobrevive aqui?

O senhor respondeu:

– Nós temos uma vaquinha que nos dá vários litros de leite. Uma parte do produto nós vendemos ou trocamos na cidade vizinha por comida e a outra produzimos queijo e coalhada para o nosso consumo, e assim vamos sobrevivendo. O sábio agradeceu, se despediu e foi embora.

No meio do caminho, voltou ao seu discípulo e ordenou-lhe:

– Aprendiz, pegue a vaquinha, leve-a ao precipício ali na frente e jogue-a.

O jovem arregalou os olhos e questionou o mestre sobre o fato de a vaquinha ser o único meio de sobrevivência daquela família; mas, como percebeu o silêncio do seu mestre, cumpriu a ordem: empurrou a vaquinha morro abaixo e a viu morrer.

Anos depois, ele resolveu largar tudo e voltar àquele lugar, pedir perdão e ajudar a família. Quando se aproximou, do local avistou um sítio bonito, com árvores floridas, carro na garagem e crianças brincando no jardim. Ficou desesperado, imaginando que a família tivera de vender o sítio para sobreviver. Chegando lá, foi recebido por um caseiro simpático, a quem perguntou sobre as pessoas que ali moravam.

Ele respondeu:

– Continuam aqui.

Espantado, entrou correndo casa adentro e viu que era mesmo a família que visitara antes com o mestre. Elogiou o local e perguntou ao senhor (o dono da vaquinha):

– Como o senhor melhorou o lugar e agora está bem?

O senhor, entusiasmado, respondeu: – Nós tínhamos uma vaquinha que caiu no precipício e morreu. Daí em diante, tivemos de fazer outras coisas e desenvolver habilidades que nem sabíamos que tínhamos e, assim, alcançamos o sucesso que seus olhos vislumbram agora.

Muitas vezes temos que nos desvencilhar do que estamos habituados para podermos conhecer nossas verdadeiras habilidades. Cada dia, é uma oportunidade de refletirmos sobre a “nossa” vaquinha e empurrá-la morro abaixo...

A.D.

1 E contou-lhes também uma parábola sobre o dever de orar sempre, e nunca desfalecer,
2 Dizendo: Havia numa cidade um certo juiz, que nem a Deus temia, nem respeitava o homem.
3 Havia também, naquela mesma cidade, uma certa viúva, que ia ter com ele, dizendo: Faze-me justiça contra o meu adversário.
4 E por algum tempo não quis atendê-la; mas depois disse consigo: Ainda que não temo a Deus, nem respeito os homens,
5 Todavia, como esta viúva me molesta, hei de fazer-lhe justiça, para que enfim não volte, e me importune muito.
6 E disse o Senhor: Ouvi o que diz o injusto juiz.
7 E Deus não fará justiça aos seus escolhidos, que clamam a ele de dia e de noite, ainda que tardio para com eles?
8 Digo-vos que depressa lhes fará justiça. Quando porém vier o Filho do homem, porventura achará fé na terra?

Bíblia Sagrada

Parábola

Após quarenta dias no deserto em completo jejum poético, depois de vencer os seus demônios internos; volta o poeta a sua terra e prega para todos que tem os ouvidos abertos, recita seu versos nas ruas, cura a melancolia dos pobres de espírito, faz milagres com a palavra, multiplica as linhas para dar de comer aos famintos pela rima, ressuscita os sonetos decassílabos do mundo dos mortos e exorciza o tédio dos descontentes.
Expulsa do templo do saber os teóricos; escreve versos todos os dias, mesmo aos sábados e causa à inveja daqueles que se acham os verdadeiros sabedores do lirismo, foi traído, preso; condenado e executado... Mas deixou um legado; sua poesia, por isto ganhou a imortalidade, reside junto do verbo.

Andrius Vallantinie
Inserida por AndriusVallantinie

Dois mil anos se passaram e o Senhor ainda fala por meio de parábolas.

Felipe Guilherme Ferreira da Silva
Inserida por felipeguilherme

Parábolas por entender, poesia mágica
palavras compradas, veredictos para vender
multidão confundida, manipulação caluniosa
amarga hipócrita, mentira dispersa
alma depenada, sangue na ferida
lâmpada falsa, lábia perdida
parábolas engasgadas, atiradas ao vento.!

IsabelMoraisRibeiro
Inserida por IsabelMoraisRibeiro

VIDA REDONDA


A terra é redonda,
nossa vida em circulos,
nossa caminhada,
parábolas.
Alianças são elos.
Tudo que vai, volta.
Tudo que gira,
volta ao início.
Meia volta dia,
meia volta noite.
Um princípio e um fim.
Mesmo que nossa vida,
sejam de muitos rodopios,
façamos de cada ida,
uma volta diferente,
desviando do que for ruim.

Marcos Marques
Inserida por marcosmarques

A vida é uma parábola que não ensina uma lição mas nos faz que aprendamos-a sozinhos

Lucas Emidio
Inserida por ljemidio

Parábola dos 3 filhos

Um pai tinha três filhos. Um era católico, o outro evangélico e o terceiro era ateu. Disse aos dois primeiros vão trabalhar na minha roça e façam um bom trabalho. Responderam: Pode deixar, pai, nós iremos e faremos um bom trabalho pra você. Disse também ao terceiro: vai trabalhar na minha roça. Este, muito intelectual a princípio relutou em cumprir a vontade do velho. Mas, depois pensando melhor decidiu ir trabalhar. Os dois primeiros partiram para a roça e no caminho começaram uma discussão sobre como fazer o trabalho proposto pelo pai. Chegaram na roça e a discussão não terminava. Começaram a executar o trabalho, mas a disputa entre eles não cessava. Enquanto isso o terceiro que não se dava muito bem com os dois primeiros foi e executou um bom trabalho, ao gosto do pai e voltou para casa. Quanto aos outros dois terminaram o dia discutindo e não fizeram nada de bom. Quem cumpriu a vontade do Pai?

Carlos Machado
Inserida por DavidFrancisco

Parábola pai e seus 4 filhos

Um pai tinha quatro filhos. Um tinha o nome de Católico, o outro de Evangélico, um terceiro se chamava Ateu e um menor de idade que atendia pelo nome de Espírita. Disse aos dois primeiros vão trabalhar na minha roça e façam um bom trabalho. Responderam prontamente: Pode deixar, pai, nós iremos e faremos um bom trabalho pra você. Deu também ao seu filho Ateu a mesma ordem. Este, muito intelectual a princípio relutou em cumprir a vontade do velho."Isso não e coisa para mim, meu negócio é pensar e mandar os outros fazerem" Mas, depois pensando melhor decidiu ir trabalhar. Os dois primeiros partiram para a roça e no caminho começaram uma discussão sobre como fazer o trabalho proposto pelo pai. Chegaram na roça e a discussão não terminava. Começaram a executar o trabalho, mas a disputa entre eles não cessava. Enquanto isso o terceiro que não se dava muito bem com os dois primeiros e guardava uma boa distância deles, foi e executou um bom trabalho, ao gosto dele e não do pai e voltou para casa. Quando faltava algumas horas para terminar o dia, o filho menor que ouvira o pai dando ordem aos irmãos mais velhos, resolveu ir também à roça. Encontrou o irmão Católico e o Evangélico ainda discutindo sobre como executar a ordem do pai e notou que seu irmão Ateu já tinha se mandado deixando um serviço diferente daquele que o pai havia pedido. Arregaçou as mangas e pôs a mão na massa, como se diz e nas poucas horas que restavam para terminar o dia fez um belo trabalho ao gosto do que o velho desejava que seus filhos mais velhos fizessem. No dia seguinte o pai foi à roça e observou o trabalho feito por seus filhos. Ficou decepcionado com os três mais velhos que não fizeram sua vontade, mas admirou-se que o filho a quem não atribuiu nenhuma tarefa, foi e fez sua vontade.

Oswald Wendel
Inserida por DavidFrancisco

“Parábola é toda a fala ou escrita metafórica, alegórica ou comparativa.”

Herbert Alexandre Galdino Pereira
Inserida por hagp