Existem livros que são divisores de águas em nossas vidas. Após lê-los, nunca mais enxergaremos o mundo com os mesmos olhos!

Confira algumas das obras mais impactantes da literatura mundial e que, com absoluta certeza, te farão refletir profundamente sobre muitas questões.

1. A Condição Humana, de Hannah Arendt

A Condição Humana

Viver é um ato político. Por isso, a obra de Arendt ganha o status de “obrigatória” para todas as pessoas que desejam entender como se adequar aos diferentes tipos de “esferas” da sociedade.

Em “A Condição Humana”, Arendt também constrói um histórico sobre o desenvolvimento da existência humana no mundo ao longo dos séculos, desde a Grécia Antiga até a Europa Moderna.

Você nunca mais verá a sociedade com os mesmos olhos…

Quando a bondade se mostra abertamente já não é bondade, embora possa ainda ser útil como caridade organizada ou como ato de solidariedade.

Hannah Arendt

2. O Mundo Assombrado pelos Demônios, de Carl Sagan

O Mundo Assombrado pelos Demônios

Sagan é uma verdadeira fonte de conhecimentos!

Neste livro, o cientista norte-americano apresenta uma análise sobre os mais variados temas relacionados com a diferença entre a ciência e a pseudociência, criando relações entre a razão científica e as superstições populares.

O principal propósito de Sagan com “O Mundo Assombrado pelos Demônios” é apresentar e estimular o uso do método científico entre os leigos, encorajando as pessoas a procurarem ser mais críticas e céticas.

3. O Diário de Anne Frank, de Anne Frank

O Diário de Anne Frank

Um dos relatos mais emocionantes e icônicos sobre o impacto que a perseguição nazista contra os judeus provocou na vida de uma adolescente de 15 anos: Anne Frank.

Em forma de diário, Anne narra todas as dificuldades e sofrimentos que a sua família teve que enfrentar para conseguir sobreviver ao Holocausto durante a Segunda Guerra Mundial.

Em meio a tantas tragédias, os sonhos e esperanças de Anne Frank permanecem sempre presentes em seu diário. Este, com certeza, precisa ser o seu livro de cabeceira em algum momento da vida!

4. Extraordinário, de R.J Palacio

Extraordinário

Sempre ouvimos que devemos “saber lidar com as diferenças”, certo? Mas, você já parou para refletir sobre o que isso significa?

Em “Extraordinário” somos apresentados ao pequeno August “Auggie” Pullman, um menino que nasceu com uma doença rara, responsável por provocar diversas deformidades em seu rosto.

Quando Auggie começa a frequentar a escola pela primeira vez, somos confrontados com as dificuldades que sente em conseguir se adaptar e fazer amigos…

Prepare os lenços de papel, pois em “Extraordinário” o que não faltam são cenas comoventes para te ajudar a pensar sobre como o significado da vida pode ser mais profundo do que você julgava.

5. Vidas Secas, de Graciliano Ramos

Vidas Secas

Considerado um ícone da literatura modernista e regionalista brasileira, Graciliano Ramos retrata a miséria do sertão nordestino durante os primeiros anos do século XX, assim como o poder da opressão e exploração política sobre o povo local.

Esta obra ficou marcada pela sua “secura” de adjetivos, que faz com que o leitor consiga sentir a aridez e constante apreensão vivida pelos personagens.

6. Ratos e Homens, de John Steinbeck

Ratos e Homens

Um clássico de Steinbeck que, além de apresentar o comportamento humano perante o desejo de lutar por seus sonhos, também nos mostra, de modo particular, o amor fraternal que caracteriza as verdadeiras amizades.

George e Lennie são dois personagens difíceis de esquecer e, com certeza, te acompanharão por toda a vida!

7. 1984, de George Orwell

1984

Um clássico distópico de 1949, mas que se torna cada vez mais atual com o passar dos anos! Esta deveria ser uma leitura obrigatória para todos os seres humanos!

Após ler 1984 você irá perceber que conceitos aparentemente surreais como a “Novilíngua” ou a existência de um “Grande Irmão”, na verdade (e assustadoramente) existem no mundo contemporâneo!

Para quem não sabe, a “Novilíngua” é uma ideia proposta no livro como um idioma criado pelo Governo para eliminar o maior número possível de palavras. Desta forma, a população fica privada de termos para construir argumentos contra o próprio governo. Bizarro, não?

Depois de 1984 seus olhos estarão muito mais atentos a vigilância do “Grande Irmão”.

The Big Brother is watching you!

George Orwell

8. A Arte da Guerra, de Sun Tzu

A Arte da Guerra

Este livro foi escrito por volta do século IV a.C, mas continua a ser muito contemporâneo e você já vai entender o motivo!

Sun Tzu foi um famoso estrategista militar e nesta obra o autor desenvolve 13 temas centrais para combater seus inimigos e vencer uma guerra.

Atualmente, todas as dicas e estratégias de Sun Tzu foram adaptadas para o mundo moderno, nas mais diversas áreas, com destaque para os setores de marketing, administração, empreendedorismo e economia.

Aliás, muitos empresários e profissionais de sucesso garantem que o “A Arte da Guerra” serviu como um “divisor de águas” em suas carreiras e até mesmo no modo como lidar com a própria vida!

9. A Desobediência Civil, de Henry D. Thoreau

A Desobediência Civil

A filosofia de Thoreau é admirada por ninguém menos que Martin Luther King, Gandhi e Tolstói!

Em “A Desobediência Civil”, o chamado “Pai da Anarquia” apresenta a ideia avançada para a época (1849) de que mais vale o indivíduo viver em paz com a sua própria consciência do que com o governo.

Por este motivo, Thoreau era visto como um “anarquista”, mas na realidade foi o percursor de conceitos como a resistência pacífica e o pensamento ecológico, por exemplo.

Após a leitura deste livro, a visão sobre o seu pensamento e posicionamento político nunca mais será a mesma!  

Ver também: 10 livros mais polêmicos de sempre!