Frases de Gabriel García Marquez

Cerca de 78 frases de Gabriel García Marquez

Acontece que a gente não sente por dentro, mas de fora todo mundo vê.

Gabriel García Márquez

Se você pretende ficar louco, fique sozinho.

Gabriel García Márquez

O mais importante que aprendi a fazer depois dos quarenta anos foi a dizer não quando é não.

Gabriel García Márquez

Para mim é suficiente ter a certeza que tu e eu existimos neste momento.

Gabriel García Márquez

Desconcerta-me tanto pensar que Deus existe como que não existe.

Gabriel García Márquez

Mas se alguma coisa haviam aprendido juntos era que a sabedoria nos chega quando já não serve para nada.

Gabriel García Márquez

Todo mundo tem três vidas: uma vida pública, vida privada, e uma vida secreta.

Gabriel García Márquez

Não é verdade que as pessoas param de perseguir os sonhos porque estão a ficar velhas, elas estão a ficar velhas porque pararam de perseguir os sonhos.

Gabriel García Márquez

Um bom escritor é mais apreciado pelo que rasga do que pelo que publica.

Gabriel García Márquez

O mundo era tão recente que muitas coisas careciam de nome e para mencioná-las se precisava de apontar com o dedo.

Gabriel García Márquez

Nenhum medicamento cura o que a felicidade não pode.

Gabriel García Márquez

O amor é tão importante como a comida. Mas não alimenta.

Gabriel García Márquez

Observe-o, não o acostume ao senhor, mas, ao contrário, o senhor que se acostume a ele, e deixe-o em paz, até ganhar sua confiança.

Gabriel García Márquez

E que o amor mais desatinado e tenaz não passava de uma verdade efêmera.

Gabriel García Márquez

Também a moral é uma questão de tempo, dizia com um sorriso maligno, você vai ver.

Gabriel García Márquez

À merda o leque que o tempo é de brisa!

Gabriel García Márquez

Se tem uma coisa que eu detesto nesse mundo são as festas obrigatórias em que as pessoas choram porque estão alegres, os fogos de artifício, as musiquinhas chocas, as grinaldas de papel de seda que não têm nada a ver com um menino que nasceu há 2 mil anos num estábulo indigente.
(Memória de minhas putas tristes)

Gabriel García Márquez