Desconhecido: Sentimento, é impossível ser...

Sentimento, é impossível ser descrito... Mesmo com as mais belas palavras, por mais que você pense e pense...Qual seria a melhor forma de escrever isso, isso e aquilo? Que palavras usar? De que forma colocá-las...Como através de palavras vou conseguir transmitir o que eu sinto, o que eu vivo... Tem momentos que eu penso, que poderia ficar horas e horas, que poderia parar o tempo e ali, ser feliz até sabe-se lá quando.. E quando eu estou nesse tão bom momento, na hora que eu o vivo, ali mesmo, eu fico pensando Como descrevê-lo? Como passá-lo pra forma escrita... Como expressá-lo através de palavras? Para se fazer entender, para poder compartilhar... Mas outras vezes paro e penso novamente..Preciso mesmo tentar escrever o que sinto? O que eu vivo? Quando a única pessoa que precisa saber, é a que esta no momento comigo...' E se o que eu sinto, você também sente então esta tudo bem, tudo bem, sim. E nada melhor do que o sentimento, dos gestos vindos dele, para demonstrar, para fazer entender-se. Palavras são lindas sim, mas elas ficam no tempo, elas podem até mentir... Como meras palavras poderiam descrever o clima, o sorriso, o cheiro, a pele, o toque, o olhar, o fechar dos olhos, o beijo? Elas não poderiam, porque é muito mais do que elas podem oferecer. Não existe palavra no mundo para descrever tudo que é sentido, nenhuma chegaria aos pés, elas não são tão capacitadas assim. Mas através delas eu tento chegar o mais perto possível, me perco nas letras, orações, frases, estrofes... (dançam na minha mente) Me perco nesse texto... Elas ficam me confundindo... Seria isso mais uma prova de que é realmente impossível descrever? Acho que sim. Por isso tento sentir mais, aproveitar mais, valorizar cada momento, porque são únicos, insubstituíveis, e que quando acabe, feliz eu permaneça... Porque eu não passei pelo momento, eu o vivi, o fiz especial, memorável... Resumindo:
Era como se ali, naquele lugar fosse o nosso mundinho, só eu e você longe de tudo e todos... como se não houvesse mais ninguém (e não havia), como se nada importasse (e não importava).

Inserida por Lumma