Letícia Nogara: De vez em quando, espero por destinos...

De vez em quando, espero por destinos que são taxados de ‘impossíveis’ por todos os meus conhecidos. Mas gosto de pensar, que o meu final feliz está à caminho. Mas quando ele bate em minha porta, eu não ouço. Talvez, nos momentos que ele aparece, eu esteja com o som ligado no último volume, e esteja feliz naquele momento. Então, meu final feliz vai embora. Mas nada que acabe com toda a minha expectativa. Também, quem sabe, ele esteja demorando, porque tem dias que ele resolve me visitar quando estou triste, em momentos que choro, fecho a porta do meu quarto e não quero falar com ninguém, e infelizmente, nesses momentos, o som das lágrimas descendo em minha face por vez, não me deixam ouvir a campainha. Continuo esperando. Esperando pelo barulho da campainha, pelo bater em minha porta, ou uma simples carta do meu final feliz. Quem sabe ele já deve ter me visitado diversas vezes, mas por consequência do destino, ele se foi. Ou, quem sabe ele apenas percebeu que estou no caminho certo. E me deixou aqui, vivendo, à espera dele no fim do túnel escuro.

1 compartilhamento
Inserida por leticianogara