Vergílio Ferreira: Saber tudo de tudo. Ou tudo de algum...

Saber tudo de tudo. Ou tudo de algum saber. Decerto é impossível e mesmo indesejável. Mas que tu sintas que é bela a luz ou ouvir um pássaro cantar e terás sido absolutamente original. Porque ninguém pode sentir por ti.

Vergílio Ferreira FERREIRA, V., Escrever, Bertrand, 2001.
Inserida por agf