Renilmar Fernandes: Nas mãos do homem a balança nunca...

Nas mãos do homem a balança nunca será de justiça,
Ainda há esperança mesmo na escuridão dessa noite.
Olhando para o Céu, sonho com a luz que iluminará o mundo.
Refletida na lamina afiada de metal nunca visto.
Espada essa que não foi forjada pelas minhas mãos.
Noites em claro, pensamentos dislexos e falta de fé compõe meu desespero.
Sentido esse que me faz seguir por caminhos desconhecidos,
Para encontrar a liberdade tão almejada.
Elo forte de ligação que jamais será quebrado.
Não adianta chorar mesmo sabendo o quão próximos estamos da destruição.
Seja ela do seu inimigo ou do seu coração.

Inserida por renew