Regilene Rodrigues: ESCONDERIJO No meu esconderijo íntimo A...

ESCONDERIJO

No meu esconderijo íntimo
A poesia derrama da alma
Saram feridas dilatadas pelo tempo
Enxugam lágrimas de solidão
Enquanto a saudade veste fantasias...

Finjo lugares lindos
Amores secretos
Enquanto bebo cálices de amor
Até me embriagar de felicidade
E adormecer no meu leito de sonhos...

Sonhar lugares
Onde posso atracar minha esperança
E embarcar do infinito do meu eu
Encontrar versos perdidos
E sopra-los para fora
Feito folhas de outono...

Sentir cheiro de primavera
Sair do lugar frio dos meus medos
Aquecer meus sentimentos de desejos
Sentir prazer onde há tempos
Sobrevivo de carinhos efêmeros...

Passear pelo jardim do meu eu
Colher flores
Enfeitar minha alma de pétalas
Até minha essência
Escorrer meu perfume de mulher
Saciar meu corpo de um poema
Que exale prazer
E eu deixe de me esconder
Nessa poesia íntima
Que sara, mas não curam
As feridas do meu ser!...

Inserida por pollianaa