Gabriella Beth Invitti: Here is your place. Você está sempre...

Here is your place.

Você está sempre tentando impressionar, sempre tentando se superar. Parece que você precisa mostrar para as pessoas que você é melhor do que elas pensam, parece que para você nada é suficiente, sempre falta algo. Você nunca sabe se está certo ou errado, simplesmente faz o que lhe dá vontade, na verdade o que você julga ser melhor fazer. Você é altamente perfeccionista. Você viajou por todas as rodovias e estrelas, errou e se arrependeu, e fez mais, muito mais que isso – você fez do seu jeito.

Não vou mentir para você. Vai dar tudo errado! Exatamente, tudo que você fizer, no final vai dar errado. – Claro, não vai ser assim sempre, mas será durante um bom tempo. Sabe por quê? Porque se não errar, não vai aprender. E errando – aprendendo – vai chegar uma hora em sua vida que você não saberá tudo, mas saberá o que for necessário para você acertar.

Eu sei. Você gosta de uma discussão, gosta de provar que está certo, que você sabe. Gosta de provar que você tem uma vida, da qual você sabe e tem consciência de tudo que faz. Gosta de analisar, e no fundo, você arrisca. – Eu sei. As pessoas sempre acham que tem razão, e você sabe que elas não tem. Mas por que perder tempo tentando mostrar a elas o quanto estão sendo ignorantes e pequenas? Deixa elas aprenderem também. – Eu sei. Você quer provar para si mesmo que não existe derrota. – Eu sei. A música tocou na hora errada, e eu pensei que sabia tudo, mas não sabia. Assim como você não sabe. Porque se soubéssemos seriamos Deus.

Não, esqueça. Eu não vou deixar que as pessoas me esmaguem com suas teorias bobas de moralidade e justiça. Eu faço o que está certo, e mais, muito mais que isso, faço do meu jeito. – Não, esqueça. Não vão ganhar essa briga comigo, porque mais, muito mais que isso, eu não estou competindo. Estou vivendo. – E quem é que vai me julgar? Afinal, agradeço todos os dias a Deus por me dar a oportunidade de tentar.

Qual o problema de eu falar o que eu sinto? Pobres coitados, eles não sabem o que falam. Eu não me arrependo de nada, porque mais, muito mais que isso, eu sempre fiz o que eu acho certo, e não o que eles dizem. – Você sabe por que existem relógios? Para nos mostrar que o tempo passa, que cada minuto que passa não pode voltar, que cada palavra que você disser vai ficar marcada para sempre na memória de quem ouviu. Então, fique calado. Afinal, eu sei o que se passa na sua cabeça. Não exatamente, mas sei.

Falar tudo que sente, com cautela, mas falar. Falar intensamente, viver intensamente, sem medo de errar. Arriscar, e mais, muito mais que isso, fazer do nosso jeito. – E eu lembrei, das letras das tuas palavras, das feridas das férias passadas e porque estou aqui. Porque eu escolhi este caminho, eu fui desonesta no começo – talvez – talvez, eu me culpe demais, mas assumir os erros é melhor do que deixar eles passarem.

Com o vento tudo passou, as folhas das árvores de tocaram, e as pétalas das flores não são mais as mesmas. Eu estou num rumo novo, e mais, mais do que isso, acho que estou no seu rumo. – Não vou mentir que minha garganta não está seca, com vontade de gritar. Não vou mentir que meu punho não está fechado pronto a brigar. Não, não vou mentir, não sei mentir. E mentir para quê? Se mais, muito mais que isso, eu fiz pensando em você.

Entre nós não cabe mais nenhum segredo, além do que já combinamos. As rosas e seus espinhos, o cheiro da rosa e a dor de seu espinho. – E quando eu falo que eu não quero, a frase fica pelo avesso, eu estou mentindo e você percebe. – Mas você pouco sabe de toda a confusão, do tanto que eu já errei tentando acertar, do quanto eu já machuquei e no final saí totalmente machucada. E eu não tenho medo por mim, mas por você.

Eu sempre enfrentei tudo, sem medo, forte e confiante. Eu nunca tinha certeza de nada, mas eu fazia o que era certo, o que eu tinha de fazer.

‘E cada vez que eu fujo eu me aproximo mais, e te perder de vista assim é ruim demais... Mas toda vez que eu procuro uma saída, acabo entrando sem querer na tua vida.’ – Eu estou misturando tudo, tentando te confundir. Você sabe demais. Me conhece demais. Não o necessário para me intimidar – mas sabe que pode me fazer desistir. – Eu coloco aqui erros e acertos, outras palavras não dirigidas a você, como se tudo se interligasse. E desta vez, você não vai entender. Mas eu não vou mentir, mentir pra quê? – Vou ficar te olhando.

Vou escrever sem parar tudo que eu quiser, e mais, muito mais que isso, vou escrever do meu jeito. Vou lembrar das letras das tuas palavras e pedir para ouvir a canção. E cada verso que tocar, eu vou adicionar ao nosso caminho. – “E é por isso que atravesso o seu futuro e faço das lembranças, um lugar seguro”.

Inserida por gabiiinvittti