Gabriella Beth Invitti: Quando tiver certeza que está certo, é...

Quando tiver certeza que está certo, é porque você está errado.

Eu sei que as pessoas falam que ‘quem se descreve, se limita’, mas no fundo todos se descrevem e segundo a teoria, todos se limitam. – Eu sou um tanto quanto autêntica, na verdade, eu sou um pouco diferente das outras pessoas – ‘diferente’ há – eu não gosto de usar essa palavra para me definir. – Eu penso de forma diferente. E na realidade, sou diferente, porque sei que os pensamentos são meus e não gosto de comentá-los. Não que meus pensamentos sejam grande coisa, mas é difícil eu dividi-los com outras pessoas. Na verdade, não divido. – Sei separar a realidade da fantasia, mas às vezes acho tudo tão difícil que, prefiro me fechar no meu mundo surreal. E isso não é um crime – imaginar que tudo está bem, quando não está – meus pais costumam me criticar por isso, mas, é a minha forma de viver. Uso uma filosofia de vida simples: “Sorria, mesmo que seu coração esteja doendo. Sorria, mesmo que ele esteja quebrado. Sorria, mesmo que o mundo esteja pegando fogo...”, simplificando, eu simplesmente ‘abstraio’. – Podem me machucar com as piores palavras, ou me agredirem fisicamente que eu simplesmente irei sorrir.

Mudo de idéias constantemente e acreditem, faço muito isso. Mas no fundo, eu tenho objetivos, então eu formo teorias – porque eu sempre tenho uma teoria para tudo – por isso vou mudando de idéias até conseguir o que eu quero, até chegar no ponto em que eu quero chegar. Isso confunde muito as pessoas, e honestamente, adoro confundir as pessoas. Às vezes, me acho maligna, porque gosto que as pessoas pensem que me elas me tem em suas mãos, porque então fica mais fácil de surpreender, e eu simplesmente surpreendo. – Mas só faço isso quando é algo realmente importante.

Tudo que é previsível que as pessoas façam, eu faço ao contrário. Quando eu tenho que arriscar, fico cautelosa. Quando é verdadeiro, eu duvido. Quando dói, eu me acabo rindo. Quando está difícil, eu faço que está fácil. Quando eu não sei, eu finjo que sei. Quando sei, finjo que estou em dúvida. Quando é natural, eu acredito ser mentira... Eu sou o que chamam de ‘contradição’. Não é falsidade, são bloqueios e formas de transformar tempestades em garoas.

E quando você perceber que na verdade eu estou facilitando as coisas, eu vou complicar. – Minhas malditas fases. – Chega uma hora que eu simplesmente penso: “Pra que facilitar, se eu posso complicar?”, é, essa é minha maldita contradição.

Tenho que confessar, sempre conto o final do filme, entendem o trocadilho? Simples. Eu sempre aviso, alerto, eu sempre sei como tudo irá acabar. Mas parece que nunca me escutam. “É importante prestar atenção em cada palavra que falo.” – Quando eu falo: está errado. É porque está errado. Quando eu falo: “vai dar tudo errado.”, é porque vai mesmo. Eu posso confundir as pessoas, mas não minto. E não que as coisas erradas não me atraiam, porque só por serem erradas, já são interessantes demais para mim.

Não tenho facilidade para mentir, é muito fácil saber quando tento mentir, por isso, prefiro ficar quieta do que tentar mentir e fracassar. – Mas tenho facilidade em manipular, manipulo com verdades, coloco as palavras de uma forma diferente mas real, e pronto.

Costumo falar entrelinhas. Tudo que eu falo, ou eu explico demais, ou eu falo de menos, para testar a inteligência das pessoas. Por isso, “é importante prestar atenção em cada palavra que falo”. Gosto de ver se as pessoas são capazes de me entender. É uma das formas que eu uso para saber se posso ou não confiar nas pessoas. Como? Simples. Se ela me entender, eu não devo confiar. – E bom, não confio em ninguém... Podendo ou não me entender.

Talvez as coisas colocadas desta maneira, pareçam ruins. Mas não são. – É tudo que eu sou. Diferente. Não sou complicada, nem louca – ok, talvez eu seja – mas as pessoas podem me entender, não precisam quebrar tanto a cabeça. É só me perguntarem, eu não vou mentir, e se eu não quiser explicar, vou ficar calada ou sorrir. – Eu posso gostar de confundir, mas eu venho com manual de instrução. Sério, eu sempre conto o final do filme.

Tudo isso porque a vida é uma aventura, e dane-se, eu vou vive-la intensamente. – “Want to bet me? I will exceed all expectations.”

Inserida por gabiiinvittti