Eduardo Mognon Ferreira: Vivências Cada letra que escrevo, uma...

Vivências

Cada letra que escrevo,
uma nova palavra se forma
em um papel tão limpo,
quanto os meus versos.

Aumenta a minha vontade,
de nunca parar.

Um sorriso discreto,
que desperta em uma
criança solitária,
já é uma comemoração
de seu coração,
com seus lábios.

Todas as guerras,
podiam ser travadas
em aviões de papel,
tiros de criatividade
e sangue de uma caneta
vermelha.

Acredito, que minhas palavras
não formam somente versos,
mas de versos novos sorrisos.

Inserida por eduardomognon