Isabele Francine: O quão amargura e sofrimento geme a...

O quão amargura e sofrimento geme a minha alma. Estou como uma orbita perdida sem respeitar as leis da gravidade. O tempo?!! Dói como um sangramento repulsante após uma ferida aberta. Oh abandono que me aflinge tanto, que tem se tornado dias de chuva constante. Sentimentos de perda e dor crescia, pois sua ausencia não tinha mais sentido. Estava totalmente como um Dejà vu. Nada mais tinha rumo ou direção.

O tempo passa. Mesmo quando parece impossivel. Mesmo quando cada batida dos segundos dói como o sangue pulsando sob um hematoma. Passa de modo inconstante, com guinadas estranhas e calmarias arrastadas, mas passa. Até para mim.”

“Eu parecia uma lua perdida – meu planeta destruído em algum cenário de cinema-catástrofe – que continuava, apesar de tudo, numa órbita muito estreita pelo espaço vazio que ficou, ignorando as leis da gravidade.”

Inserida por isabelinha30