Joycilena Oliveira: Nesse momento Preciso de ti Sempre. No...

Nesse momento

Preciso de ti
Sempre.
No nascer do dia,
Na chegada da noite,
Nas horas contadas,
Nas horas incontáveis.
Dentro de si o relógio é outro.

Espero tua chegada,
Receio por tua partida.
Faz parte da vida.
Quem nunca teve medo de perder o grande amor?

Quando se ama o coração está depositado no outro,
No relacionamento.
O coração aspira, suspira,
Bate forte,
Sofre também.
Afinal, amor é um risco incontrolável,
Pulsando dentro de cada um.

Jorram sentimentos,
Transborda,
E às vezes esbarra,
Esbarra quase que no imperceptível.

Ah! O amor.
Dias de glória, de alegrias, de brilho.
Sorrisos...
O olhar está alegre,
A gentileza permite a nobreza,
Permite acreditar.
É como se cada dia fosse uma virada de ano.
É uma felicidade tão imensa que pedimos para o tempo parar.

Ah! O amor.
Também tem dias sem fogos de ano novo,
Dias frios,
Um tanto cinzento,
De nó na garganta,
De choro.
Dias sem alegrias,
Sem empolgação,
Fica batendo na porta de saída,
A dor nessa hora surge...





O que esperamos quando estamos amando?
O que nos importa?
Queremos tanto o outro,
Que na ânsia desse querer,
Às vezes colocamos tudo a perder,
Ou no mínimo algumas partes pedem saída.

Sente-se tanto
Que o corpo não descansa
Nem dormir consegue
Fica sentido
Assim como o coração,
Também se dedicou nesse amor.
Fica triste
E chora...

Ah! O amor...
Ah! Esse amor
Somente esse amor
É capaz de tanto!

Às vezes injusto,
Nem sempre acontece como se planeja.
Quando o amor chega
Não se pensa no injusto
Mas as vezes acontece
De um ou dos dois se sentirem assim

Ah! O amor...
Esse amor...
Como esperei...
Como desejei...
Como sonhei...
Ao encontrá-lo
Sonhei ainda mais...

Desejo sempre renovado...
Somente esse amor...
Somente ele...
É capaz...
De Tanto...

Nesse caso,
Fios de esperança
Vão tecendo.
Não é possível que o mundo não conspire
Para amores como esse!
Capaz de tanto!
Sendo tanto!




Só sobra ao final dizer,
Que sem ele, os fogos de ano novo vão em retirada.
Pedem dispensa.
Não querem mais ser estourados.
Não sentem alegria.
Não tem motivo,
Não tem força.
Perde o brilho,
Acaba-se a voz,
O estouro,
O barulho.

O pulsar desse amor bate em disritmia,
Perde-se também o compasso.
O relógio outrora dentro de si,
Também perdeu as horas.
Sobra apenas o incerto.
Agora se receia a ficada,
Não mais a partida
Pois a partida está de espera.

Sobra agora tanto amor!
Fios de esperança
Ainda tecem
Esse amor.
Só esse amor
É capaz de tanto...

Amores lindos como esse,
Não pedem partida
Querem ficar,
Continuar pousado,
Pois sabe ele
O tamanho que ele é.

Os fogos de ano novo,
Aguardam!
Anseiam serem estourados,
Querem o brilho,
O barulho,
A alegria,
A felicidade de volta
Para continuar...
Seguir...
Sempre!
Amém...

Inserida por joycilena