Wendy: Liberdade, liberdade, quem sou eu para...

Liberdade, liberdade,
quem sou eu para falar de ti ?
mesmo com espinhos em minha mãe...
eu me atrevo a escrever,
meu sangue misturado a tinta...
escorre sem ser percebido,
ainda estás em mim, em meus sonhos ocultos...
assim como o dia de nossa doce entrega,
crianças se abraçaram de olhos fechados...
e tocaram o mais íntimo do céu,
mas quem duvidaria de nossa inocência ?
vejo caminhos solitários a frente...caminhos...
sem pressa,
passo após passo...
fecho os olhos,
aí está você.

Inserida por wendylazzy