Ivan Melo: Eu sou como Jean Valgean Eu sou um homem...

Eu sou como Jean Valgean

Eu sou um homem comum
com meus problemas comuns,
com hora marcada para tudo,
com cartão de crédito estourado,
com aluguel para pagar,
e prestação do carro pra vencer...
com carnê, IPVA, IPTU pra pagar.
Eu sou um homem comum,
com minhas crises de existência,
com minha constante sonolência,
com meus medos e meus segredos
prestes a se desvendarem.
Eu sou um homem arredio
com a minha falta de mim,
um homem sem crença, que crê,
descrente pela situação
contínua da nossa vida,
assalariado, mal pago, asmático
com falta de ar até pra respirar...
um homem que não sabe mais
o que fazer nem desfazer;
um homem que não gosta de sapos
mas que engole vários,
que não sabe dizer mas diz
cobras e lagartos dos politicos
e pseudolideres desta nação.
Um homem que talvez não seja mais
capaz de digerir o alimento
que lhe empurram garganta abaixo,
mas que necessita se alimentar
para poder sobreviver...
eu me sinto como Jean Valgean,
um miserável atribulado
por uma situção indesejável,
um ladrão sem escrupulos,
um Robin Hood do pão...
Pago as minhas dividas com fé,
suor e contradição, creio,
acredito na ressurreição
do homem bom que me habita,
que me faz sentir-se vivo
e esperançoso em meio ao caos.
Tenho medo, como todo homem,
de sair as ruas e ser atropelado,
de não poder voltar pra casa...
tenho medo dos meninos nos faróis,
dos mendigos pelas praças,
dos bebados e dos equilibristas,
adormecidos pelas calçadas;
tenho medo que algum deles possa ser
um de meus irmãos e irmãs..
eu, como Jean Valgean, não hesito,
não hesitaria em pegar um pão,
mas prefiro pensar que não,
que não há necessidade de roubar,
quando se pode trabalhar,
amar ao próximo e se doar
com tamanha e total satisfação,
que não é preciso tirar de ninguém
o direito à educação, o respeito,
a justiça, o dever de cidadão.

Inserida por teacherivan