Gabriella Assis: Em dias Desavindos. Nos dias desavindos,...

Em dias Desavindos.

Nos dias desavindos, suas palavras torturam meus ouvidos. Sufocam-me, ao ponto de fazer com que eu ache que todo o oxigênio existente desvaneceu. A ausência de ar se torna angustiante . O meu coração torna-se pequenininho, menor do que o de uma formiga, sente-se oprimido, como pobres mendigos que vivem a margem da sociedade. Mas... De repente... O ar volta, ele sempre volta.

Inserida por gabifajo