Hugo Radamésio: Sei que ando errado, o meu destino é...

Sei que ando errado, o meu destino é esguio,

Meio turvado, num processo de negação.

Singelo destino, confuso e opaco,

Provido de águas salgadas e soluços.

Acordo atordoado, reconhecendo o espaço,

Não me agrada o redor, nem o espelho,

Mais do que só, ando errado.

Peco na frieza, com que trato a vida,

Na afinidade com a solidão,

No não procurar respostas,

Em Aceitar com os olhos fundos e sonâmbulos,

Cotidiano fatídico e ensaiado,

Com que me deparo sem nenhuma reação.

Pobre dos outros sabem o que é ser feliz,

Não conhece amargura de um choro,

De uma nódoa em sua alma,

Pobre de quem se acha vitorioso,

Não conhece o gosto do barro travoso,

Goela adentro, quando se está no chão.

Nunca fecha os olhos para realidade,

Não tem seu refugio em viver no nada.

Em desfrutar a amargura da solidão.

Inserida por HugoRadamesio