Gabriella Beth Invitti: "Love your neighbor." “Fazer...

"Love your neighbor."

“Fazer o bem sem olhar a quem.” – A vida é um comércio onde você compra e paga. Pode pagar à prazo, ou a vista, ou até parcelado em 30, 60 e 90 dias. Por isso é importante saber o que você está comprando.

Se você machucar alguém, não espere ser feliz pelo resto da vida. Porque você irá ser machucado, pela pessoa que te machucou, ou até mesmo por outra – não importa, você receberá a mercadoria que comprou. Mesmo que não tenha sido sua intenção machucar alguém, você pagará por isso. – É aquela velha história: “Você colhe o que planta.”

Não sei se você pode me entender, mas fazer o bem pelo próximo é sempre a melhor opção. Mas fazer o bem esperando o bem é indigno. – O valor das coisas está em dar sem receber. – Mesmo você tendo sempre as melhores intenções, mesmo que você sempre tente ajudar, ainda haverão pessoas que irão lhe machucar. – E então me responda: “você deve machucar estas pessoas também?” – Não. Meu doce amigo. Você não deve. – Pelo simples motivo de que se estas pessoas não pagarem por você, pagarão pela vida ou pelo diabo. – E você não é ninguém para julgá-los ou repreende-los, mesmo que eles te prejudiquem, você não é juiz do mundo. Por isso, quando aquelas pessoas mais precisarem, você estará esperando sorrindo e de braços abertos, para que elas mesmas entendam o quanto foram pequenas, e principalmente, para que você sinta a paz interior de saber que é melhor.

E então chegará o dia, em que você saberá que fez tudo pelo bem do próximo, você terá a paz interior – e aquelas pessoas que te magoaram durante a vida, lhe pedirão perdão – você irá perdoá-los, mas a vida não perdoará o mal que elas fizeram.

Honestamente, já fui muito errada. Já julguei, já me achei superior, já prejudiquei alguém e no final, no final eu descobri que eu era um Nada. – Apenas mais um Nada deste mundo. – E para falar a verdade, eu tenho uma mágoa enorme em meu coração por uma pessoa próxima, e eu me sinto cada vez mais pequena toda vez que aquela pessoa necessita de ajuda e meu coração inquieto me faz negar. Porque para mim não basta fazer bem a todos, eu tenho que fazer bem para aquela pessoa que mais me prejudica. Mas não consigo. E eu me sinto suja. Porque sou pequena demais, não consigo perdoar. Eu deixo de me sentir um nada, e começo a me entender como um lixo descartável no mundo. – Porque eu, eu não consigo superar minha própria mágoa, não consigo me superar.

E todas as palavras escritas na Bíblia não fazem sentido quando eu não me supero. – Jesus disse: “Você deve perdoar setenta vezes sete.” – Eu não consigo perdoar a única mágoa que guardo em meu coração. – Claro, tenho outras mágoas, na verdade, não são mágoas, são tristezas, coisas da vida e coisas que eu consigo levar, coisas que com todo o amor que me resta eu carrego para ajudar quem precisa, carrego aquele amor que me resta e levo a todos que simplesmente me olharem.

Eu me sinto bem ao levar este amor as pessoas e me sinto um lixo toda vez que sei que poderia ter dado mais deste amor, me sinto um lixo toda vez que não posso jogar fora minhas mágoas. – Porque toda vez que eu faço alguém sorrir, uma paz interior brilha dentro de mim, toda vez que eu abraço alguém num momento de tristeza, uma luz acende e brota um laço de união, toda vez que eu ouço os problemas de alguém, eu consigo respirar fundo e sentir a paz de que eu posso tranqüilizar o próximo.

Eu não me sinto Deus, nem uma enviada. Eu me sinto alguém que descobriu que o mundo pode ser melhor, mas não depende só das outras pessoas. Se eu quero transformar, eu começo pela minha evolução.

“Arrisque-se! Corra atrás dos seus sonhos, tome o caminho mais longo e pare na estrada toda vez que alguém pedir carona – não importando raça, dinheiro ou religião – porque um dia você poderá ser a pessoa que precisará de ajuda.”

Inserida por gabiiinvittti