Gilliard Bastos: Como não te amar vida?tão complacente...

Como não te amar vida?tão complacente comigo.
logo eu que te cuspo a cara quando não acredito em seus contos.
As vezes andando eu comparo;
É como se trancar no quarto e botar uma unica bala no tambor da maquina,apagar as luzes e girar, pra ver se o sangue corre mais rápido dentro de mim.

Teu cheiro,teu gosto de mundo,tuas incertezas e teu medo,me faz fingir esquecer que sou igual a você.
Me olha assim, tão criança e tão confusa,pra ver se te arrumo um bom destino.
Eu só queria ver o lago,os patos e a serenidade das árvores.

Me abraça e tira todo o peso do ocío,e bota o sangue pra correr e deixa eu dizer que, tudo que eu mais quero e fazer alguem como você feliz e enfiar um faca no coração do moinho que bota medo em nossas vidas.

Deixa eu botar a lingua na sua boca,que o meu abraço te faz segura.
Deixa eu senti teu cheiro,que o meu contato te faz correr o sangue.
Deixa eu "Ser",por quê eu aprendi assim, e já não consigo viver sem idealizar.
Deixa a paixão devorar o silêncio...

A meu amor esse nosso suor,esse beijo sem direção,essa incerteza,esse Gigante...principalmente esse gigante.

fica aqui deitada no meu colo,que não tem visão hoje mais bonita que "Eu,você e o Guarda-chuva".

E amor por favor,se for me botar de ponta cabeça,não precisa se justificar.

Inserida por Gilliardbastos