Gabriella Beth Invitti: Nossa Terra Em uma sala de aula, a...

Nossa Terra

Em uma sala de aula, a professora Natureza deu a seus alunos um desenho para pintar. Cada desenho tinha uma forma estranha, e as crianças deveriam colorir.
O menino Estados Unidos pintou seu desenho de amarelo. Os meninos Cuba, China e Japão pintaram seus desenhos de vermelho. A menina Inglaterra pintou seu desenho de azul-claro. A menina Alemanha pintou seu desenho de roxo. O menino Iraque pintou seu desenho de amarelo-queimado. O menino Brasil pintou seu desenho de verde... E assim todos pintaram seus desenhos.
Ao final da lição a professora juntou todos os desenhos como um quebra-cabeça. E foi surpreendente como as formas dos desenhos se encaixaram perfeitamente. – “Ah! Professora Natureza, sempre tão inteligente”. – O desenho do Brasil era um dos mais bonitos, por ser um menino quieto, fraco e um tanto quanto malandro – os outros se aproveitaram disto. Brasil, tinha feito vários tons de verde em seu desenho – o que deixou a Professora Natureza muito feliz.
Estados Unidos, um menino muito inteligente, amava sua professora, muitas vezes ele repetia: “Amo a Professora Natureza mais de que tudo...” – um tanto quanto falso, mas devemos considerar a inocência de uma criança – ele ficou com ciúmes da atenção que Natureza deu para o desenho de Brasil, e quando os desenhos já estavam todos agrupados, pintou uma parte do desenho de Brasil de amarelo – a parte mais verde do desenho de Brasil .
Quando a Professora viu aquilo, lhe perguntou por que ele fez isso, então ele disse: “O Brasil não estava cuidando de seu desenho, por isso consegui pintar o dele – acho então, que o desenho é meu – pelo menos, eu cuido”.

Nesse mundo de cores capitalistas e socialistas, esquecemos o verde da nossa Amazônia. – O governo cobra tanto que cuidemos da nossa natureza que esquece que os outros países andam se apropriando de algo que é nosso. – Quero a Amazônia preservada, quero eu – brasileira – poder usar dela.
Nosso governo tão educado, simbólico e que se diz certo. Comprova cada vez mais seus objetivos e fraquezas.
Talvez o menino Brasil não seja tão fraco e humilde, e sim inteligente para ganhar algo em troca do menino Estados Unidos. – É que eu não terminei a história. – “No intervalo, o menino Estados Unidos ofereceu um lanche para o Brasil para que ele não contasse ao diretor População o que aconteceu com seu desenho – para que Brasil falasse a Professora Natureza que havia deixado Estados Unidos fazer aquilo com seu desenho. Pena que Estados Unidos só ofereceu um lanche para o Brasil, porque se fosse mais ele teria conseguido o que queria”. – Brasil! Molequinho malandro... quieto, mas sempre pensando em crescer na vida. Estados Unidos, menino inteligente e determinado, não desiste nunca... espera só a próxima história, aposto que na próxima ele consegue ter a professora só para ele... Essas crianças de hoje em dia!!!

"Brasil, mostre a tua cara" - Defenda o que é meu, o que é nosso. preserve não por eles, mas sim por nós; não por dinheiro, mas pelo meio ambiente. A política é fascinante, eu sei. Mas a nossa terra, a nossa água, o nosso trabalho... é tão mais perfeito.

Inserida por gabiiinvittti