Maicon Carlos: Cavalheirismo interesseiro Saindo da...

Cavalheirismo interesseiro

Saindo da casa da minha namorada, que agora é ex-namorada, isso faz uns três meses, eu acho, fui dar uma passada na praça, coisa que não fazia havia tempo, por causa das repressões do namoro. No caminho encontrei uns amigos e a Margarida. Eu não tinha nada com a Margarida, muito menos imaginaria ter algum dia. Passei apenas pra dar um alô, e já me despedi e Margarida foi comigo até a praça, paramos numa lanchonete, ela não queria comer, ficou fazendo-me companhia enquanto eu comia.

Tivemos uma conversa muito agradável, embora eu não me sinta bem quando estou comendo e conversando com alguém. Tenho medo da imagem bizarra das minhas mastigações e minhas abocanhadas no sanduíche, isso é muito pessoal. Mas eu gostei muito da doçura, da inteligência e da sensatez daquela menina, mas logo vinha à minha mente a lembrança do meu compromisso de namoro.

Meu último ônibus era às vinte e três horas, e trinta minutos, e já eram vinte e três e vinte minutos, ou seja, eu tinha ainda dez minutos até o ônibus aparecer. Ela decidiu ir embora também, não havia mais quase ninguém na praça. Margarida morava ali perto, eu poderia acompanhá-la até em casa, mas mesmo que eu voltasse correndo pro ponto passariam os dez minutos. Eu poderia ir andando pra casa, mas demoraria quarenta minutos, e eu tinha namorada, portanto o cavalheirismo não valeria à pena.

- Tchau Margarida, obrigado pela companhia.

- Obrigado você, boa noite!

Um mês depois eu estava solteiro, e apaixonado por Margarida, e ela nem olhava mais pra mim.

Maldito cavalheirismo interesseiro!

Inserida por maiconcarlos