Wilson de Oliveira Vieira: O que se tornou perfeito, inteiramente...

O que se tornou perfeito, inteiramente maduro, quer morrer”(Nietzsche).
“ Só há um problema filosófico verdadeiramente sério: é o suicídio, julgar se a vida merece ou não ser vivida, é responder a uma questão fundamental da filosofia”..(Camus) .
Partindo destes princípios de idéias em formas de expressão poética, deduzo o seguinte, a morte para mim não é fim, mas o começo de tudo outra vez, quando morremos de forma digna, ou mesmo causado por problemas de saúde e nunca provocada, penso que quando estamos conscientes e tranqüilo deste fato, nada melhor para um recomeço, não como processo transmigrátorio de alma, ou questões como vai para o céu o inferno etc... Não, não me refiro a estas ideologias espiritualistas, mas sim o recomeço de nos tornamos pó do mesmo pó, a continuidade esta presente justamente aqui!, e neste processo de decomposição, ou cremados e jogados a natureza, é que de fato voltamos a sermos o que éramos antes, nada mais do o retorno eterno, o encontro de si mesmo, nos braços da mãe natureza, ela se encarrega de transforma nossos restos mortais a todos elementos químicos da natureza, e nisto é que esta o grande segredo da continuidade da vida, por isto é que a natureza nunca morre, e neste sentido a morte torna-se o principio da vida .

Inserida por WKPHILIP1