Sergio Fajardo: LOUCO Já fui chamado de louco No...

LOUCO

Já fui chamado de louco
No princípio não gostava,
mas refletindo melhor...
Descobri que,
de certa forma,
sou louco sim!

Louco por fugir das convenções
Por não me conformar
com o mundo como ele é
Sou louco por acreditar
no impossível
E viver no mundo da lua,
alheio ao nosso mundo real.

Sou um verdadeiro maluco,
falando de amor
Como se todos fossem
sensíveis a ele
Nesse planeta não há espaço para loucos
Essa espécie não tem lugar
Nosso habitat é nossa própria mente

Nós, os pirados, somos perigosos
Representamos uma ameaça à sociedade
Justamente por fazermos
o que a maioria não faz
Por falta de coragem,
em nome das aparências ou do status
Mas o louco não tem maldade!

Sou louco por ser demasiadamente simples
De uma simplicidade até ingênua,
que fala o que sente
Louco por ser intenso
e esperar que os outros sejam
E como louco sou incompreensível
E quero continuar sendo!
Por favor não tenha preconceitos
Louco também é gente!

Louco não faz sentido,
isso é que é genial
[O louco é imprevisível]
Prefiro ser assim, louco e diferente
Que alguém comum e normal

O louco é um revolucionário
Que atua em si mesmo
Mas de modo solitário
Sou louco por ser estranho
Não me encaixo nos padrões
Sou louco mas nada ganho
Somente uma felicidade
Recheada de ilusões.

Inserida por sergiofajardo