Siomara Reis Teixeira: BALADA DO PROFUNDO AMOR Se for para nada...

BALADA DO PROFUNDO AMOR



Se for para nada ser
Que eu não seja uma, duas ou três.

Mulher, amante ou simples amiga talvez.

Que nada mais me reste se nunca mais
Eu ouvir falar a tua voz

Que se faça a noite fria e inconteste
Dos que perdidos vagam rumo ao nada

Que se faça a negra maldição
Se eu vier a te perder

Só então o desencanto
Secará meu triste e solitário pranto

Para jamais em mim, outra emoção assim, conter!

Inserida por siomarareisteixeira