Mhell Moura: Eu sou ninguém, eu sou alguém, eu sou...

Eu sou ninguém, eu sou alguém, eu sou o nada!
Eu vivo presa, amarrada em prol da sociedade.
De que vale tudo isso? Estava tão feliz! Será que estava? Será que sou?
E se eu seguisse outro caminho? Onde está a coragem de desistir? E a coragem de persistir, continuar?
Deus, Deus... Se me escolheu, então, ajude-me! Deixe-me viver a nostalgia de fazer o que minha liberdade impõe. Ser feliz com minha escolha, seja ela qual for.Deixe-me esquecer os outros caminhos e me concentrar exclusivamente em um único. E que seja o mais sensato! Se estou assim, a culpa é minha?
Eu sou ninguém, sinto-me ninguém. Sinto-me o nada.
Se sou alguém...
Onde estou? Como vou? O que sou?
Se sou alguém...
Quando será minha escolha? Hoje? Ou esperarei mais alguns séculos?
Cadê minha vida que estava aqui? Eu preciso tanto!
Devolva-me, por favor!
Logo, senão corro o risco de desistir dela.

Inserida por Mhell