Gabriella Beth Invitti: Uma segunda chance Há uns dias atrás,...

Uma segunda chance
Há uns dias atrás, assistindo Three Rivers, comecei a pensar: “Todos merecem uma segunda chance”. Não foi uma pergunta, foi uma afirmação. Todos merecem uma segunda chance! Afinal, conta a Bíblia que Deus deu seu próprio filho para nos salvar do pecado, ele nos deu uma segunda chance – ele é uma força maior e mesmo assim misericordiosa, não importa quem você é ou foi, se você se arrepender verdadeiramente, ele te perdoará.

No episódio da série, um usuário de drogas precisava de uma doação de órgão – ele precisava de um novo coração. O médico então fez de tudo para colocá-lo na fila de receptores de órgãos. Porém a diretora do hospital não queria incluir o usuário de drogas na fila. – “Será que ele que nunca deu valor a vida, poderia receber um órgão no lugar de outro receptor?” – Foi a questão que se gerou no episódio. Mas a série tende a mostrar que todos merecem uma segunda chance, e ele recebeu um novo coração.

Achei justo, porque não importa o que ele fez com seu organismo até o dia em que ele recebeu um novo órgão, o que importa é que ele queria mudar – e mesmo se não quisesse mudar, quem poderia negar a vida para aquele jovem? Ninguém, afinal, Deus não negou a vida a nós.

A questão é, existem pessoas que enchem a cara de cachaça e criticam quem usa drogas. O que essas pessoas pensam? Que o álcool faz bem a saúde delas? – Na verdade, a droga é proibida porque o governo não recebe dinheiro dos lucros obtidos. O governo não se preocupa com o bem da população, se eles se preocupassem não haveria tanta fome e eles não roubariam o dinheiro da população. – Um exemplo? O cigarro faz mal a saúde e mesmo assim ele é aceito. – As drogas são só mais um mal que existe no mundo, e provém de cada ser humano fazer a escolha se quer usá-las ou não. E ninguém pode julgar isto. – Deus deu a cada um de nós uma vida e disse: “Amar o próximo como a ti mesmo” – se é escolha do teu próximo usar drogas, deve respeitar e se acha errado – apenas não use.

Quantas vezes ouvimos histórias de pais que expulsam seus filhos de casa porque descobrem que eles usam drogas. Isto é certo? Eles dizem querer respeitar a moral e os bons costumes, normalmente são pessoas religiosas. E na verdade, fazem tudo errado. Desrespeitam o maior mandamento de Deus: amar o teu próximo. – Se respeitassem, cuidariam de seus filhos, respeitariam seus filhos e além de tudo amariam seus filhos. – E aqueles então, que julgam ‘a fulaninha que deu pra fulano, ou o drogado que não faz nada da vida...’, quem são eles? Normalmente, são pessoas que não estão felizes com a própria vida, normalmente são pessoas que fazem coisas piores – falam de moral e bons costumes, e fazem ao contrário. Sociedade imunda.

Se cada um cuidasse mais de sua vida, ao invés de monitorar – desculpem a palavra – o ‘rabo’ do outro, a sociedade seria mais limpa, o mundo seria um lugar melhor. Se eu fizesse apenas o que eu acho certo, e esquecesse o que os outros fazem errado ou o que os outros acham ser certo ou errado, sem prejudicar ninguém – o mundo seria um lugar melhor. O que adianta eu achar a vida do próximo errada? Afinal, ele não me deve nada. Ele deve apenas a Deus.

É importante fazer as coisas certas, mas mais importante ainda é saber que você tem uma vida e que deve amar não só a sua vida, mas ao teu próximo. Criticar, julgar – não é respeitar, nem ajudar, muito menos amar.

Se todos tem uma segunda chance, por que ‘a fulaninha que deu pra fulano, ou o drogado que não faz nada da vida...’ não terão também? Seja feliz, podendo ver os outros felizes também. - Aprenda a perdoar e além de tudo, aprenda a amar.

Inserida por gabiiinvittti