André Moraes: Ninguém a Esperar Ao avistar a janela...

Ninguém a Esperar

Ao avistar a janela entreaberta
Prontamente se pôs a cantar
Mas calou-se, o pobre poeta
Não havia ninguém a esperar

Fora as guerras com honra lutar
E por lado a morte passaste
Na esperança da volta encontrar
A amada que um dia deixaste

Mas não sabia, pobre poeta
Que no mundo que hoje se apressa
Ninguém mais pode esperar

E por isso seu canto ele cessa
E pra este momento só resta
A guerra voltar a lutar

Inserida por rafaelamonttepaulo