André Moraes: Pra Sempre Lembrar-te Seguido a paixão...

Pra Sempre Lembrar-te

Seguido a paixão a ordem natural
Ingenuamente, talvez, por instinto
Dediquei-me explicitamente afinco
A discrepância dum amor unilateral

Tão logo o inicio, logo o final
A submissão insana em suplicio
Junto à pena que por ora sinto
Refundi num ato quão surreal

E na perjura do passado esquecer
Fechando os olhos a meu próprio ser
Já cansado de tanto esperar-te

Rabisquei a saudade um tanto amena
E fiz da tua imagem este poema
Para todo sempre lembrar-te

Inserida por rafaelamonttepaulo