Cecília Meireles: Também é ser, deixar de ser assim....

Também é ser, deixar de ser assim. (...)
Eu deixo aroma até nos meus espinhos,
ao longe, o vento vai falando de mim.
E por perder-me é que me vão lembrando,
por desfolhar-me é que não tenho fim.

Nota: Versão adaptada do poema ""4º Motivo da Rosa": Link

Inserida por tham