Cristiane Alves dos Santos: Devaneios de uma mente questionadora...

Devaneios de uma mente questionadora

Porque o amor tem que ser tão prolixo?
Porque não acontecer como nos filmes mais bregas e açucarados, os quais a mocinha vê o rapaz e... Pronto! Já estão ligados por toda a vida e enfrentam os maiores vilões e dificuldades unidos, cada vez mais apaixonados? Porque não assim?
Quem inventou que para conquistar é preciso jogar, esnobar, fingir que não está nem aí?
Quem falou que as lágrimas são sinal de fraqueza e que os erros são sinal de burrice?
Será que os homens são todos iguais? Sapos que nunca virarão príncipes? E as mulheres, são mesmo tão difíceis de compreender?
O que falta é sensibilidade, se colocar no lugar do outro, dar valor aos detalhes pequenos que, unidos, se tornam imensos! Eu quero poder ser de verdade, sem máscaras, sem malícias ou fakes!
Eu quero viver um amor sincero, poder dizer “eu te amo” sem medo do que os outros vão julgar, de parecer ingênua ou diminuída. E ter a certeza de que, quando ouço essas três palavrinhas mágicas, elas venham direto do coração e se expressem sobretudo no olhar e não somente nos lábios.
Não preciso de alarde, carros de som, chuva de pétalas de rosa ou um anel de diamante. Sou muito mais do que isso! Eu PRECISO me sentir amada a cada momento, sentir paixão nos beijos e ternura nos carinhos.
Meu Deus! Eu quero poder sorrir sem motivo aparente ao simplesmente olhar para alguém, e que este sorriso seja retribuído, sem que eu precise explicá-lo.
Quero poder ficar durante segundos, minutos ou até horas sem dizer uma única palavra, sentindo o cheiro e o calor do colo do outro, nos comunicando apenas pela linguagem do sentimento que nos une. Porque não? O devaneio é meu, deixe-me livre para ouvi-lo!
Será que a saudade dói tanto no outro quanto dói em mim e como ele diz em suas palavras proferidas, como se fossem música para os meus ouvidos? Ou serão apenas parte daquele famoso “jogo de sedução”?
Quem ensinou que quando uma pessoa está segura de ser amada, pode se acomodar, pois tem garantia do seu terreno comprado no coração do outro? Não sabe que um solo mal cuidado pode se tornar infértil e que uma planta mal regada pode definhar de desidratação?
Eu quero ouvir uma música romântica, daquelas que exaltam o amor, e não julgá-la como uma jogada de marketing ou uma estratégia para ganhar dinheiro. Eu quero ouvi-las e pensar: - Nossa, eu entendo, sei o que é isso, pois estou sentindo essa emoção nesse exato momento. E que esse momento dure por muito tempo.
Um dia, talvez, eu alcance essa tão sonhada “sorte no amor”. E até esse grande clímax do filme da minha vida, seguirei (sobre)vivendo...

E agora, não me perguntem o que quero dizer com essas palavras, que lições pretendo dar, que dívidas cobrar, que fatos específicos relatar ou a que conclusões chegar. Essas palavras, cada uma delas, são só viagens, um desabafo dessa alma confusa, ansiosa, sonhadora, igualmente prolixa e, acima de tudo: TRANSPARENTE!!


17 de Dezembro de 2009

Inserida por barbiekris