Mateus Maciejewsky: então natal de novo ? [...]naquele...

então natal de novo ?

[...]naquele lugar, se reunia toda uma familia, que mal se via e se respeitava durante o ano.estavam ali para comemorar o "natal"[...]
... Na mesa encontrava-se um enorme e delicioso chester, comida de varios tipos e marcas,coca-cola, muita cerveja, muito refrigerante, uma grande quantidade de carne para ser assada, bebidas; na sala havia uma grande arvore de natal, muito bem enfeitada,e toda rodeada de presentes; todo mundo que ali se encontrava, estava muito bem vestido - todas as roupas haviam sido compradas para tão ocasião - ... naquela hora, senti dó da cerveja, pois ela ainda não havia de tocar os labios de niguem, e senti dó da deliciosa e suculenta picanha, porque não fora tão disputada ainda...( todos esperavam a meia noite)...(todos ansiosos)...(um silêncio esperava as 12 horas)...
Todo mundo ali com um falso sorriso e uma enorme pressa... todos esperavam a meia noite - na minha familia, é de tradição ter um amigo oculto na ceia a meia noite -.
As doze horas em ponto, todos já se encontravam na sala perto da arvore de natal, para sortear,abrir,revelar,comentar,bajular todos os presentes.
enquanto não foram abertos todos os presentes, niguem saiu da sala. Mas logo depois, veio aquele sentimento de dever cumprido, todos estavam felizes por terem coisas novas, prevaleçia o sentimento capitalista, FIM do amigo oculto , todos ganharam o que queriam desejaram, talvez havia tido uma corrupção por tras do sorteio, mas isso não vem ao caso. Logo depois do sortei, veio os mais sinceros comentarios...
-oba, mal posso esperar o proximo natal !
-putz. como vc sabia que era isso que eu queria ?
-esse foi o melhor natal de todos !
-eu adoro o natal.
-ano que vem vô dar um presente mais caro.
-será que vai me servir?
...
para eles o natal havia acabado ali.
fim do amigo oculto.
abriram os presentes.
fim do natal.
Depois disso, não se ouvia mais a palavra natal, agora era a hora de comer e beber, enfim a cerveja e a picanha foram disputadas, mas não muito disputadas, porque havia muita fartura de comes e bebes. Comida e bebida havia para passar uma semana de festas.

[...]
Quando estava indo embora da casa onde festejamos a "ceia" natalina, minha irmã me convidou para passar na casa da vó do namorado dela - ela queria desejar Feliz Natal para seus futuros familiares - ...Era uma casinha humilde, ficava no fundo de outra casa, para chegar onde queriamos, e onde era festejado a ceia, tivemos de passar por um caminho de barro - havia chovido no dia antes -
Chegando na porta, vi que a casa era realmente humilde, mas mesmo assim fomos adentrando; logo na entrada fomos muito bem recebidos, eu mal conheçia todo aquele povo, mas mesmo assim todos fizeram questão de se levantar e desejar a minha irma e eu um Feliz Natal, recebi abraços fracos de pessoas idosas,mas muito calourosos,... não pude deixar de notar a ceia deles,todo mundo que ali se encontrava era muito humilde, não estavam com roupas novas, mas vestiam suas melhores roupas,não havia fartura de cerveja nem de comida, mas mesmo assim na hora em que cheguei, um menino chegou também e me ofereceu algo que ainda não sei se era refrigerante ou suco - era o único litro de refrigerante que havia na mesa - tinha muitos meninos para um litro de refrigetante.e me ofereçeram.
Na mesa muita comida caseira,feijão tropeiro, arroz,quiabo,macarrão ( enfim comida para colocar sorriso no rosto de quem não espera presente ) Não avistei um chester, nem marcas, nem tão pouco diversidade, não havia um dvd ligado com um som ambiente, mas sim o bom e velho radio de pilha.mesmo com tão pouco,e tão muita gente.tudo se compartilhava.todos sorriam.todos satisfeitos.
no meio da sala dois velhinhos dançando ao som do radio que mais chiava que tocava musica.
A senhora avó do namorado da minha irmã ofereceu a nós todos os comes e bebes que lá havia.não era muito.
de primeiro eu neguei, mas senti que eles poderiam se sentir ofendidos e logo me servi.
Muita risada, muitos sorrisos, crianças sem brinquedos, muita conversa, povo falando alto, crianças brigando,o chiado do radio ao fundo, pessoas dançando, muitos sorrisos, abraços apertados sem medo de ferir ou sem proposito de nada em troca, olhos lagrimejados de tanta felicidade,me convidaram para sentar num sofá de 3 lugares mas que havia 8 pessoas,e no meio de tantos sorrisos,bagunça,empurrões e abraços.(EU PUDE SENTIR).
Eu pude sentir algo que de tão lindo, talvez tenha sido o verdadeiro espirito natalino.

enfim...
o que é natal pra você ?

Inserida por mateusmaciejewsky