Alex Simas: Metades... Traze-me tua sede, afoga-a em...

Metades...

Traze-me tua sede, afoga-a em meu poço de desejos.
Cerra os olhos para que possas enxergar minha luz,
tudo que quero agora é um beijo seu, despudorado
molhado, melado com as lagrimas do reencontro.
Vem, deita comigo sobre os escombros da saudade,
o pó do passado é agora adubo para o novo jardim.
Rosas novas estão prontas para florir, com elas viram
também novos espinhos para novamente nos ferir.
Deixa que minha língua te seque o sangue nos dedos,
que meus beijos sejam o balsamo para tuas dores...

Acende novamente meu olhar no brilho de tua alma.
Gritemos nossos nomes em loucos sussurros roucos.
Areias do tempo não escoam por mãos entrelaçadas.
Hoje é nosso presente, ontem um quadro pendurado
nas paredes da lembrança, amanhã apenas um sonho.
Precisamos-nos, juntos somos metade, só somos nada...

Inserida por jucicastro