Clarice Lispector: Ah, então era por isso que eu sempre...

Ah, então era por isso que eu sempre havia tido uma espécie de amor pelo tédio. E um ódio contínuo dele.
Porque o tédio é insosso e se parece com a coisa mesmo. E eu não fora grande bastante: só os grandes amam a monotonia.



Mas o tédio - o tédio fora a única forma como eu pudera sentir o atonal. E eu só não soubera que gostava do tédio porque sofria dele. Mas em matéria de viver, o sofrimento não é medida de vida: o sofrimento é subproduto fatal e, por mais agudo é negligenciável.

in A Paixão Segundo GH. pág 141

in A Paixão Segundo GH. pág 141

Inserida por eduardarocha