Francisco Assis Melo: A visita de um amigo Tenho um amigo que...

A visita de um amigo

Tenho um amigo que visito todos os dias.
Pelo menos dez minutos todas as manhãs reservo para conversar com ele.
Às vezes, na verdade, nem conversamos.

Apenas ficamos silenciosos, olhando um para o outro. Isto geralmente acontece quando amanheço sobrecarregado com problemas, deprimido por algum motivo, sem ânimo para conversar. Mesmo assim vou ao seu encontro e fico lá, apenas olhando para ele.

E ele olhando para mim.

Engraçado que mesmo sem palavras sinto em seu olhar a força que necessito para enfrentar e vencer as angústias do momento. E a paz invade suavemente todo o meu ser e saio de sua presença confiante de que algo de bom está para acontecer em minha vida.

Interessante que sei, também, que esse “algo de bom” de repente não irá acontecer naquele dia. Porque nem sempre o problema é de solução simples. Mas sei que tudo está sendo providenciado e no momento certo acontecerá.

Não sei explicar porque isto acontece. Como um simples olhar silencioso transmite tanta paz e tanta certeza. Tudo que sei é que meu amigo nunca falhou, e sempre que me envolve com esse olhar é como se estivesse dizendo:

“ – Coragem, cara! Por que se abater por tão pouco? Que memória fraca você tem. Olha para o passado e vê que situações mais difíceis você já viveu, e de todas saiu vencedor! E olha que esse problema de agora nem é tão grande assim. Você que está lhe dando uma dimensão e uma importância que não existem!”

E volto para casa sorridente e refletindo sobre o que me foi dito no silêncio, por palavras não saídas de lábios humanos, mas inspiradas no coração, saídas de outro coração de um verdadeiro amigo.

Entendi que o que me foi “dito” é o início da solução dos meus problemas. E então me despojo dos sentimentos negativos que me impediam de enxergá-los dentro de sua dimensão real, e as possibilidades de uma solução sempre aparecem.

Sei que muitas vezes as aflições que levo a ele não são obras do acaso. Decorrem de equívocos que cometo, e poderiam ter sido evitadas caso tivesse agido diferente. Mesmo assim ele nunca me julga nem condena. Apenas me acolhe, encoraja e mostra o caminho a seguir.

Você, a esta altura, já deve saber que é este amigo que me inspira tanta confiança...
Claro que é Jesus!

É o amigo que visito todos os dias, presente no Santíssimo Sacramento, na Capelinha de minha Igreja, que conhece e entende minhas fraquezas, que sabe que não sou melhor nem pior do que ninguém, tão pecador quanto outros, que me perdoa e me acolhe sempre, principalmente nos momentos mais difíceis, que cuida de mim.

Mas não apenas de mim, embora me faça sentir como se fosse único, mas de todos os que o procuram, entre os quais, desejo de coração, se inclui você que lê este testemunho de amor e fé.

Inserida por NumberOne