Paul Géraldy: Expansões Eu gosto gosto de você!...

Expansões

Eu gosto gosto de você!
Compreende? Eu tenho por você uma doidice...
Falo, falo nem sei o quê,
mas gosto, gosto de você.

Você ouviu bem isso que eu disse?
Você ri? Eu pareço um louco?
Mas que fazer para explicar isso direito,
para que voêe sinta?.. O que eu digo é tão ôco!

Eu procuro, procuro um jeito...
Não é exato que o beijo so pode bastar.
Qualquer coisa que me afoga, entre soluços e ais,
é preciso exprimir, traduzir, explicar...

Ninguém sente senão o que soube falar.
Vive-se de palavras, nada mais.
Mas é preciso que eu consiga
essas palavras, e que eu diga,
e você saiba... Mas, o quê?

Se eu soubesse falar como um poeta que sente,
diga! - diria eu mais do que
quando tomo entre as maos essa cabeça linda
e cem, mil vezes, loucamente,
digo e repito e torno a repetir ainda:
Voce! Voce! Voce! Voce!...

Paul Géraldy GERALDY, P.,Eu e Você, 1912.
Inserida por mmsh