Nina Rocha: De longe Sou o próprio verso Crio...

De longe


Sou o próprio verso
Crio minhas vontades,meu universo
Só eu vivo e lugar nenhum me habita
Meu desejo me consome e me dá vida

Quero o que tens e o que te amedronta
Queres o que tenho e me faz tonta
Serão deuses nossos algozes?
A mim parecem demônios ferozes

Criam distancias vazio no espaço
Jogo vago de frio carrasco
Precisos ,afins ,seres calados
Riem quando jogam os nossos dados?

Inserida por Ninaflorzinha