Jânio Matheus: Às vezes escrevo sem saber, outras...

Às vezes escrevo sem saber, outras vezes escrevo por escrever, mais sempre que escrevo eu digo o que eu sinto, não minto em argumentar que a vida e bela e quando eu olho na cara dela eu falo, morte obrigado pela a sua visita mais hoje eu não vou pular da janela. Se tudo e do mesmo do jeito eu não sei, mais o que penso não faz mais diferença a ninguém, só a mim. Pra falar a verdade muitas vezes à diferença não chega a ser questionada por mim, pois quando eu lembro que eu tentei, acho que não a motivos te ter tentado, podia mesmo e ter ficado parado, pois ninguém se importa com nada hoje em dia, tento fazer o que eu posso mais nada da certo, assim eu fico na duvida de varias coisas, pensando que um dia estarei sentado me lembrando que vida após vida e quase nada me interessou.
Descubro eu, que talvez mudaremos tudo com a nossa nova idéia e assim seguiremos em frente e adiante com novas coisas e descobrindo tudo de novo quero mesmo sim, estar com uma nova vida, novo começo, novo em tudo. Bola pra trás, e um pé a frente de tudo que nos não queremos perder...
Que seja assim as nossas vidas, que tudo mude, e ao mesmo tempo, que não mude nada, nada de errado com nos, tudo de errado com tudo, e tudo mais errado ainda com o mundo. “Fim”

Inserida por Janio-Matheus