Maga.Vito: Sobre sonhos Ontem à noite, em meu...

Sobre sonhos

Ontem à noite, em meu devaneio
Vieste me ver, meu anjo pueril
Com teus olhos infantis, misteriosos
Teus cabelos obscuros embalaram meu sono
Injustamente descansei na tua forma
Grata por estares aqui, te senti, teu todo
Fragmentos de uma metamórfica dúvida
Regada a calorosos debates entre ser e ficar
Como poderia eu conter tamanho anseio?

Teu pulso firme, teus braços frágeis
Tua alma vil, teu dorso alto
Entregue a mim, despida, rubra,
Como conter, fúria profunda
De não te ter, anjo inocente
Despida de medos, de sonho, carente
Corpo que inebria, que queima,
E como explicar esse ato,
Algo tão puro, tão doce, só sente…
Peco, perco, perto…
Querubim, quente, quero-te
Meu anjo pueril de cabelos negros
Não limpe os seus pés… não suje sua alma.

Inserida por maga.vito