Eliseu Soares: Quase sempre a bíblia associa O Mar, a...

Quase sempre a bíblia associa O Mar, a lutas e dificuldades, e quase sempre vemos o livramento e a vitória que Deus tem para os seus filhos, mas hoje quero falar de momentos em que o mar da vida se enfurece e as ondas batem no nosso barco muitas vezes nos levando ao naufrágio, clamamos para que Deus acalme as ondas, mas parece que Ele não nos ouve, e o mar continua bravio.

O texto de hoje está em Atos 27:19

E ao terceiro dia nós mesmo, com nossas próprias mãos, lançamos ao mar a armação do navio. E, não aparecendo, havia já muitos dias, nem sol nem estrelas, e caindo sobre nós uma não pequena tempestade, fugiu toda a esperança de nos salvarmos.

Esse emocionante relato de uma viagem desastrosa do apóstolo Paulo, nos leva a imaginar os momentos angustiantes que esse homem de Deus passou durante quatorze dias e quatorze noites à deriva no Mar Adriático. Ele correu risco de vida, tanto pela fúria do mar quanto pela vontade de satanás em matá-lo através de um pensamento maligno dos soldados que faziam a guarda do navio, Paulo sentiu na carne o medo, a solidão e o silêncio de Deus naquelas noites sombrias de chuva. A escuridão e o balanço das águas daquele mar bravio lhe davam a impressão de ver a morte a qualquer instante, e havia dentro dele o sentimento de alivio se algo acontecesse para dar fim aquela situação.

Como posso afirmar isso? porque Paulo era um ser humano como eu e você. Sabe querido, quando Jesus nos chamou para segui-lo Ele não nos prometeu um mar de rosas. Ele também nunca te disse que mudaria o instinto natural de tua vida o tornando uma pessoa sem medos e inseguranças. Jesus jamais afirmou que você nunca iria sofrer ou passar por momentos de angustia e dor.
As vezes, queremos ou pensamos que somos super dotados espirituais, e por servirmos a Deus, é inaceitável luta e sofrimento feito esse naufrágio desesperador vivido por Paulo, já vi gente se vestir de uma “espiritualidade” tão sobre natural que repreende todo tipo de provação ou sofrimento que vê, dizendo que é inaceitável esse tipo de situação a um filho de Deus, será mesmo que isso é uma verdade?

Pois eu te digo uma coisa, Deus as vezes acalma o mar, mas nem sempre assim ele faz. Ele acalma o mar apenas com um doce olhar, ou com uma voz de autoridade dizendo, – Aquieta-te mar! acalma-te vento! e tudo se faz bonança. Mas isso é somente as vezes que acontece. Existem momentos que o mar não se acalma, o vento não enfraquece e as ondas se tornam bravias e batem no barco e encalhamos, sim(!), vemos o casco do barco se partir e apenas nos resta força para escaparmos com vida chegando a uma pequena ilha, como essa chamada Malta que Paulo conseguiu nadar, então entendemos uma grande verdade;

Deus as vezes acalma o mar, e em outras vezes vem junto conosco para dentro da tempestade.
Dai compreendemos que sua vontade é soberana, que Ele é o Deus dos vales e das montanhas, do mar bravio e da ilha de refugio, que os planos que Ele tem para a nossa vida são maiores do que a nossa vontade do bem estar, Ele tem o mar como seu aliado para grandes ensinos, as lutas são para o nosso crescimento, e o medo serve para entendermos que precisamos sempre da ajuda desse Deus que tudo pode, inclusive acalmar o mar, quando lhe parece conveniente. Seu silêncio não quer dizer que perdeu o controle da situação, Ele esta ali(…) pertinho de nós e tem tudo no seu controle.

Deus as vezes acalma o mar, e em outras vem nos socorrer!

Inserida por fotoeliseu