Escritorcampos: Quisera eu ter você constantemente Eu,...

Quisera eu ter você constantemente

Eu, ego centrado,
Quisera abafar o meu pecado.
Espargir-me para os lados,
Onde moram os ateus.
Destilar simplicidade,
Apregoar a humildade.
Quisera eu, concentrado,
Espalhar-me todo em Deus.
Amar sem ser amado,
Conquistar sem ser notado.
Quisera eu, não cobrar nem ser cobrado.
A tudo olhar com olhar apaixonado.
Amar sem querer entender nada.
Sou, sei que sou, sem nada ser.
Fenômeno - réu - magistrado,
Um milagre, assim Deus-Pai me fez.
Alegria e dor resplandecem minha tez!
Descrever-me é complicado,
É como tê-lo ao meu lado.
Confunde-me, sou o amor que me amou.
Quiçá, amá-lo como Deus me tem amado.
Falei de amor, de ateu, falei de Deus,
Sou mais um, dizendo adeus.
Sem saber pra onde vou.
Sou igual, diferenciado,
Tantos planos, tantos fados.
Dispersos, pensamentos alados.
Verdade que mente ao crente e descrente.
Sou explicação da semente-gente,
Continuo um grão de mostarda,
Ínfimo, sendo abastado-bastardo.
Um bastão, gentil-gentio.
Vou além dos desafios.
Não me importa se sou livre, se sou nobre,
Cabeça, cauda, baioneta ou sabre.
Quieto, calado sem dar um pio.
No contexto sou quimera,
Que quisera ser achado,
Sou nuvem passageira,
Pelo sopro divino soprado.
Falo de coração:
Sou você - Oh. Meu irmão!
Por você mato meu ego
E, todo me entrego,
Na mais plena exaltação
Criador e criação.
Sem fazer acepção,
Mesmo que não mereça,
Espero que não se esqueça,
Sou você, amado irmão!
"Ser ou não ser, eis a questão"
Eis, a criação.
“To-be or not to-be”,
Isto é lá com “Shakespeare…”
Quando o time está ganhando,
“Nele não se mexe”.
Meu irmão não se entristeça,
Sê firme, não se avexe.
Quando falo de você,
Falo de mim,
Pretensioso-egocêntrico,
Amor sem fim.
Sou grato ao Pai-Eterno
Por você estar em mim.
Ou estarei em você,
Se assim o preferir.
É poeta-profeta
Ao descrever o indescritível,
Ao dizer o indizível,
Ao ver o invisível!

Inserida por escritorcampos