Deborah de Andrade: Quem sou eu... Uma pergunta difícil de...

Quem sou eu...
Uma pergunta difícil de responder para uns e fácil para outros. O que faz dela uma pergunta interessante. Porém, mais interessante ainda é ver que muitas pessoas não querem respondê-la!
Não entendo porque não responder, afinal é se conhecendo que um dia poderemos nos superar.
Mas, ao invés disso, quantos simplesmente respondem: Quem se descreve, se limita!
Ora, quem se descreve não se limita! Apenas se conhece!
Não descrever-se em nada impedirá, com essa atitude, que outras pessoas tirem conclusões próprias a seu respeito. Elas apenas poderão concordar ou discordar do que foi lhes dito por você.
Então... Onde está a limitação nisso?
Eu mesma, se pudesse me descrever hoje, me descreveria como um Ouro-de-tolo! Não por enganar os mais desavisados com um brilho falso, mas por ainda não ter sido capaz de despertar todo o meu potencial.
Eu, hoje, ainda preciso ser lapidada! E descrever isso não é limitar-me, é admitir toda minha imperfeição!
Eu, hoje, ainda não sei bem o que quero para a minha vida daqui a 20 anos! E descrever isso, novamente, não é limitar-me, é assumir que preciso de objetivos claros e definidos para o futuro!
Limitar-se, na verdade, é não se dar a oportunidade de descrever-se, de passar para um pedaço de papel palavras simples que traduzam o jeito que você encara a vida e as emoções, a forma como elas te afetam.
Os verdadeiros poetas sempre descreveram a si mesmos e a tudo que lhes afetou e continua afetando, e, no entanto, nós chamamos isso de Arte!
A opção por descrever-se é igualmente proporcional a opção por expressar-se, e a expressão é única forma que o ser humano encontra para se comunicar com os demais! Para criar Arte!
Comunicar-se é expandir-se! Criar é projetar-se em novas formas!
Posso afirmar que ao descrever-se, a curto prazo, você terá a chance de refletir sobre si mesmo. A médio prazo, terá certeza do que gosta e do que não gosta em você, e a longo prazo, saberá, exatamente, que tipo de pessoa quer se tornar no futuro.
Essa será a prova de que você evoluiu. Um simples exercício, desdenhado por tantos, lhe possibilitará expandir sua visão periférica, para uma visão panorâmica do que você é hoje e do que você deseja ser amanhã.
Você ampliará suas capacidades. E essa, meus queridos, é a verdadeira intensidade do ser humano. É isso que nos torna incomparáveis uns com os outros.

Isso sim é ilimitar-se!

Inserida por deborahdeandrade