Gabriella Beth Invitti: Você. Não devia ter aparecido, você,...

Você.

Não devia ter aparecido, você, não era a hora de você ressurgir. Não era hora de me contra-atacar.
Achei que eu tivesse superado tudo, tivesse te deixado, achei que tivesse te esquecido. – Mas foi só te ver, pro meu coração bater a mais de mil. Pra minha respiração parar. Para os meus olhos se imobilizarem. Para eu me sentir fraca, pequena, radiante, entregue.
Foi estonteante ver o seu sorriso encantador; o seu jeito inteligente, cauteloso e cortês; a sua beleza que me faz sentir-me pequena. E quando ouvi sua voz, há! A sua voz. Eu delirei, não há canção melhor para meus ouvidos do que a sua voz. – A sua voz, que é minha voz; o seu sorriso, que é meu sorriso; - o desejo do teu abraço que você não me deu, o teu abraço que é meu; você, você que não há nada no mundo que eu ame mais – você que é meu.
Dói pensar que logo você vai me deixar. Dói saber que a minha felicidade dura pouco. Dói saber que vou sentir saudades novamente – não era a hora de você voltar: eu estava me recuperando.
Mas você voltou. – E eu novamente esqueci como se deve respirar, e meus olhos não sabiam enxergar outra coisa além de você, os meus ouvidos só estavam atentos em ouvir sua voz, e o meu sorriso estava preparado para desabar quando você sorrisse com seu sorriso perfeito pra mim.
Acho que te devo desculpas – eu cheguei a desistir de você, cheguei a desistir dos meus momentos sem ar nos pulmões, por algo que não valeu à pena. Eu pensei estar indo em busca da minha felicidade – quando eu já sabia que a minha felicidade estava em você.
Eu só peço a Deus que seja eterno, e que dure para sempre. E que algum dia, a gente possa viver o amor que a distância tem nos tirado.
Eu sei o que você sente por mim, e eu sei o que eu sinto por você. – Eu te amo, meu sol, meu porto seguro.

Inserida por gabiiinvittti