Mateus Barreto: Eu sou livre! Vocês podem achar que eu...

Eu sou livre!

Vocês podem achar que eu sou Louco. Fofoqueiro. Ridículo. Homem. Mulher.
Gay. Lésbica. Vocês podem achar o que bem quiserem de mim. Desde que me tenham como um amigo. Eu sinceramente não me importo em saber o que pensam a respeito de mim. Pra que saber o que pensam a respeito da minha pessoa se isso não vai mudar ou influenciar em nada minha vida cotidiana? Tudo isso se deve ao fato que só temos uma vez. Uma única vez, uma única chance de fazer tudo o que desejamos e planejamos. Nós todos, independentes classe, cor ou credo, só temos essa vida pra aproveitar o máximo que podemos. E por isso que sou assim. Ligado 24 horas na tomada. Viciado em viver, mesmo que muitas vezes pacato e quieto. Mas é assim mesmo, ninguém vive fazendo festa todo dia, ninguém consegue levantar de bom humor todo dia, embora a ditadura do bem viver nos diga que devemos sorrir até mesmo dormindo ou debaixo do banho. E mesmo que eu não consiga dessa forma estar sorrindo diariamente, eu tento, eu me esforço pra contentar quem ta ao meu redor.
Já disseram diversas vezes que eu tenho o dom de alegrar quem está ao meu lado, de fazer rir quem está junto de mim. E vocês pensam que isso é bom? Isso é muito bom, é gratificante, mesmo que quase freqüentemente eu extrapole e acabe irritando uns que acabo perdoando logo depois. Tudo bem, até reconheço que ninguém é obrigado a ouvir minha bela voz toda hora e todo dia. Mas eu vou em frente.
Costumo muito dizer que eu vou embora. E eu vou mesmo. Sinto muito caros amigos, mas irei deixá-los dia desses. Não posso viver pra sempre no mundo que não é completamente meu. Eu pretendo e afirmo que vou viajar o planeta inteiro, conhecer pessoas e lugares, entreter outras pessoas e elas descobrirem que eu existo. E como muitos sabem, vocês irão poder amenizar a saudade ligando a televisão e dizer: - Como o Mateus tá bonito hoje. Como o Mateus tá magro. Como o Mateus tá estranho hoje. E poderão finalizar dizendo: Faz horas que ele não aparece por aqui, faz horas que ele não liga. Claro amigo, todos devem entender que morar em grandes metrópoles exige muito trabalho, corre corre e nem sempre se consegue vir a toda hora rever vocês.
Mas é assim mesmo...
Lógico que é assim mesmo, uns me amam, outros me detestam. E na grande maioria todos me adoram.
Eu me decepcionei. Simplesmente porque ninguém é o aparente ou o que tu achas que é. E diante dessa imensa decepção eu não me deixei abater. Eu sou muito melhor do que ontem e vou em frente.
Pois bem brilhantes amigos. Espero um dia poder fazer parte da história da vida de cada um de vocês. De ser lembrado e reconhecido pelo meu jeito elétrico e bizarro de viver. E seria tão bom se todos soubessem o quanto é maravilhoso ser ridículo. Já dizia o ilustre Luiz Fernando Veríssimo: “ Mas eu desconfio que a única pessoa livre, realmente livre, é a que não tem medo do ridículo. “ E eu hoje me considero livre.
Amigos. Embora muitos não sabem, nem denotam a tamanha adoração que tenho por vocês, saibam que carrego todos dia a dia no meu enorme coração que é que nem de mãe. Sempre cabe mais um.
Fiquem bem. E espero um dia ser reconhecido pelo meu trabalho voluntário de fazer vocês rirem e assim eu dou risada, movimento 300 músculos e fico mais feliz vendo a felicidade no rosto de cada um.
Eu vou lá...
Até a próxima! Um abraço.

Inserida por TeteuBarreto