Ana Paula Félix Gervoni: Vivo a buscar o incerto por caminhos...

Vivo a buscar o incerto
por caminhos tortuosos que ando,
corro e percorro largada sem fim.
De enfadonha procura adormeço
mas não me acalmo nem ao leito,
e inquieto sonho.
Sugo segundos respirados.
Vivo como se fosse morrer.

Não cesso, peregrino serei sim.
Só hei de parar um dia,
ao contemplar a face de um grande amor.
Esplendido então ao seu lado repousarei,
Após isto, pode se esfriar esta carne.
Branda, tendo provado o dissabor de AMAR.

Inserida por anagervoni