Leo poeta: TRAÇOS E RETALHOS- por leo poeta Amei...

TRAÇOS E RETALHOS- por leo poeta

Amei você o quanto pude,
o quanto alguém pode amar.
Me entreguei, me sacudi,
me joguei e ainda sim nada,
apenas nada.
Fui eu quem fez vc negar.

Te esqueci o quanto pude,
o quanto alguém pode esquecer.
Renego qualquer traço de esperança
qualquer fresta de desejo,
qualquer tudo, um nada alcança.

Aprender a amar é diferente.
viver é algo terrivelmente longe
de está.
Querer é algo próximo
de viver e solidão é algo longe
de viver só.
Amargura é está ciente, ciente
que você fez, faz ou vai fazer opções
é quando a garganta da nó.

Considero a solidão única
saída para quem com o mesmo
desejo que mostrar ser único (a)
o egoismo o torna incapaz,
indefeso e o impossibilita de tomar
uma única direção.

Caminhos se cruzam
vidas se gastam,
romances calam-se,
corações dividem-se,
outros partem.
Uma canção explica tudo
e as lágrimas limpam
os vestigos e o tempo
graceja o que restou.
Nasce uma nova VIDA.

Inserida por LeoPoeta