Franciane Costa: Nada vai ser como antes, eu sei. Mas é...

Nada vai ser como antes, eu sei. Mas é que esse é meu refúgio, não consigo dizer isso olhando nos olhos e escrevendo sei que você não vai ler. Eu ainda sinto que poderíamos ter sido felizes e esse ‘sido’ no passado me consome inteira, aprendi que nada vai mudar mesmo você voltando disposto a continuar, agora é tarde, o dia já amanheceu lá fora e acabei acordando sozinha. Mas sabe, é que dói tanto seguir essa rotina sem você, e quando mudo os hábitos, acabo lembrando que faço isso numa tentativa desesperada de te tirar da minha vida, de te esquecer. Hoje era dia de ir pra sua casa, comer macarrão, e depois assistir aquele seriado que você me ensinou a gostar. E só de tentar esquecer já estou lembrando. Quando toca Laura Pausini é inevitável não lembrar da sua cara de nojo, era até engraçado te ver fazendo aquelas caretas todas. Quando perguntam por você não sei o que responder. O que você diz quando perguntam por mim? Sempre fica um silencio constrangedor, não sei se devo dizer a verdade, é que na real ela ainda dói e tenho a impressão que vai latejar pelo resto dos meus dias. Me fazias feliz e só agora vejo isso, mas eu achava que merecíamos viver. Humanos são estranhos neh?! Sempre achamos que no futuro é que está a felicidade, sempre naquilo que ainda está por vir. Hoje me pergunto se realmente virá ou se foi para sempre. É que na verdade a balada era mais divertida com você, até minha tristeza era mais feliz contigo. Não sei porque to escrevendo essas coisas, mas é que nunca senti isso e talvez por falta, também. Faz falta seu carinho, sua compreensão, suas comparações toscas, suas caretas hilárias, suas palavras de consolo, seu riso alto. Tudo isso era único e agora eu não tenho mais.

Inserida por francicosta