Bruna Peres Viana: Pessoas nascendo estranhas. Estranhas...

Pessoas nascendo estranhas. Estranhas pessoas pequenas querendo algo. Viver. Só queriam viver do jeito que tinham vontade. Só queria poder gritar do jeito que queriam. Mas não podiam. Não podiam fazer nada a não ser beber seu café frio. O que adianta canta, se alguém vai lá e faz melhor. Sempre. Poetas de todo mundo falam. Falam sobre sentimentos, partes do corpo, pessoas. Apenas falam. Ninguém presta atenção na essência que eles tem a mostrar. Por que escreveram aquilo? Ninguém sabe o por que, mas sabem que escreveram. O que é isso? Uma coisa imprópria, incerta, inesperada. O inesperado, na verdade, é realmente esperado, mas com um certo sabor de novidade. Dizem por ai que o significado de amor é a perfeição. Nós que complicamos demais para não ver nada de mais nele. Nem sei mais o que escrevo. Só sei que alguém, entre todos que lêem, se importa, se identifica. Talvez feche a ferida aberta por uma pessoa inesperada na vida alheia. Talvez só abra mais ainda o machucado deixado por um ser distante. Talvez não seja nada, só amenize a situação. Não pretendo nem vou mudar o mundo, mesmo querendo. Só transmito o que penso, e penso no que transmito. Escrever é a arte de buscar todas lembranças, sejam elas boas ou ruins. Ler é a arte de buscar as suas lembranças, por meio das lembranças de quem escreve. Complicado, não? Não. Na verdade, não. É tão simples que eu poderia até cair. Cair não, me atirar de algum lugar alto. Mas mesmo assim vivemos felizes, felizes não, levamos a vida. Nem todos somos feliz, nem todos tem tempo bastante pra ser feliz. Não saber o que fazer. Melhor fazer para melhorar, do que esperar melhorar para fazer. Nem sempre somos presentes nas coisas importantes, coisas insignificantes nos tocam todos os dias. Amigos. Eu nada seria se não fossem vocês. Acredite nas coisas que se mostram realmente pra você. Não adianta nada querer tentar passar por cima de seus problemas, tem que enfrenta-los de frente. Todo mundo diz isso. Tenha dó daqueles que sofrem, tenha dó daqueles que fazem por merecer e acabam perdendo a esperança. Perder o que nunca imaginaríamos perder na vida. Ganhar o que nunca íamos merecer.

Inserida por marassay