Henrique Flausino Perine: Não se pode transcender o céu Nem o...

Não se pode transcender o céu
Nem o tempo, nosso vento é fôlego fraco
É um tormento
É uma vidraça, é só um caco

Não se vê, nem se pode imaginar
A voz que sussurra lenta, ela aumenta,
E vem para falar
Conta piadas, mal contadas,
ela vem nos fazer chorar

Tua Mao é tremula, faz parte dessa flâmula
Que usamos para marcar nosso caminho
Como as migalhas, no nosso ninho
Que te distrai, que me atrai

O nosso norte, e a nossa sorte
Gado de corte
Ou apenas uma indignação
É assim a nossa causa, é assim nossa alusão
Despentear o dia-a-dia, e dar valor a uma ilusão

Inserida por HenriquePerini